Electromagnetic Fields and Human Health, John E. Moulder, Ph.D., Professor of Radiation Oncology, Medical College of Wisconsin

 Antenas de telefonia celular (Estações Base) e Saúde Humana


Versão: 2.6.3
Ultima modificação:
31-Oct-2000
Autor:
Versão: 2.6.3 Última-modifição: 31-outubro-2000 o Autor: jmoulder@mcw.edu


 



Índice de perguntas

  1. O que são estações de telefonia móvel, e quais os riscos associados a trabalhar, morar, jogar ou estudar em uma escola perto de uma?
  2. Existe alguém seriamente preocupado com possíveis riscos a saúde humana oriundos de antenas de estações de telefonia móvel?
  3. Existem diferenças na avaliação dos impactos a saúde humana entre antenas telefone celular, sistemas de comunicação pessoal e outros tipos de telefonia móvel portátil?
  4. Existem diferenças importantes na avaliação de impactos a saúde humana entre antenas de estações de telefonia celular e outros tipos de antenas de radiofreqüência com emissoras de radio ou TV?
  5. As antenas de estações de telefonia móvel produzem radiação?
  6. Existem semelhanças entre as radiações não ionizantes (radiofreqüências) de antenas de estações de telefonia celular e radiações  ionizantes como o Raio-X?
  7. Existem semelhanças entre as radiofreqüências de antenas de estações de telefonia celular e campos eletromagnéticos produzidos por linhas elétricas?
  8. Existem normas de segurança para antenas de estações de telefonia celular?
  9. Existe alguma base cientifica para estas normas de segurança sobre radiação e radiofreqüência?
  10. Todas as normas de segurança são iguais?
  11. Os EUA têm guias de segurança para estações de telefonia celular?
  12. Antenas de estações de telefonia celular podem cumprir as normas de segurança?
  13. Existem situações as quais estações de telefonia celular poderiam não cumprir as normas de segurança?
  14. Quais os critérios requeridos para assegurar que uma estação de telefonia celular cumpra todas as normas de segurança?
    1. Quais são alguns critérios gerais de localidade?
    2. Quais as diferenças de antenas de alto-ganho e de baixo-ganho?
    3. Qual o significado das expressões como “ganho da antena”, potência de transmissão e potência radiada efetiva?
    4. Quais as diferenças entre os diagramas de radiofreqüência de antenas de alto e baixo ganho?
    5. Ë seguro morar no ultimo andar de um edifício que tem uma antena transmissora de telefonia celular no topo?
    6. São requeridas restrições de uso ao redor de locais de antenas de telefonia móvel?
    7. Quais as precauções que se devem adotar quando se trabalha nas imediações de antenas transmissoras de telefonia celular?
    8. Como se avalia o cumprimento das diretrizes sobre radiação e radiofreqüência das antenas transmissoras de telefonia celular?
  15. Todo o mundo concorda com as atuais normas de segurança sobre radiofreqüências?
    1.  O que faz com que a Agencia de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, pense que as atuais as atuais normas sobre antenas transmissoras de telefonia celular sejam adequadas?
    2. Um grupo britânico evidenciou que viver perto de torres de transmissão de televisão produzem um aumento de casos de leucemia infantil?
    3. Um epidemiologista israelense evidenciou que a exposição a baixos níveis de radiofreqüência produzem diversos efeitos a saúde?
    4. Um grupo britânico evidenciou que existe um aumento no numero de casos de leucemia e linfoma ao redor de antenas transmissoras de FM/TV de alta potencia?
    5. Um pesquisador da Universidade de Washington relatou que há evidencias de que a exposição à radiofreqüências geradas pelas estações transmissoras é perigosa?
    6. Existe a afirmação de um pesquisador da Universidade de Washington que há evidências de que a exposição de radiofrequência geradas pelas estações base são perigosa?
    7. O que se pode dizer a respeito de declarações feitas pelas televisões britânicas, americanas e francesas de que novos dados que sugerem que os telefones móveis poderiam causar câncer?
    8. O que foi dito pelo grupo perito do Reino Unido ( Comissão Stwart) sobre a segurança das estações base de telefonia móvel?
  16. Existem estudos epidemiológicos que mostram que a exposição as radiofrequências geradas por estações base de telefonia móvel  é segura?
  17. Poderiam as radiofrequências moduladas produzir efeitos diferentes das radiofrequências de ondas contínuas utilizadas em muitos estudos em laboratório?
  18. Existem grupos ( como crianças e idosos) mais sensíveis as radiações e radiofrequências?
  19. Antenas de estações base de telefonia móvel afetam marcapassos, produzem dores de cabeça, etc?
    1. Antenas de estações base de telefonia móvel afetam equipamentos médicos como marcapassos?
    2. Antenas de estações base de telefonia móvel produzem dores de cabeça?
    3. Antenas de estações base de telefonia móvel produzem variações fisiológicas ou comportamentais?
  20. Radiofrequência produzem efeitos biológicos?
  21. Há alguma evidência de que radiofrequência possa produzir câncer?
  22. Há alguma evidência de que radiofreqência possa causar abortos ou malformação congênita?
  23. O que mostram os estudos científicos mais frequentes sobre radiofrequência e câncer?
    1. O que se pode dizer a respeito da informação de que a exposição de ratos à  radiofrequência  de telefone celular causou linfoma?
    2. Existe alguém que tenha exposto ratos a radiofrequência de telefone celular para estudar o aparecimento de câncer?
    3. O que se pode dizer sobre a informação de que a exposição de ratos a radiofrequência de telefone celular produz danos ao DNA de suas células cerebrais?
  24. Onde se pode adquirir mais informações?
  25. Quem escreveu estas perguntas e respostas?

Revisões

v2.6.3, Oct-2000:

v2.6.2, Sep-2000,:

v2.6.0, Jul-2000,:

v2.5.3, Jun-2000,:

v2.5.1, Abril-2000:


Notas organizacionais

- Referências atravessadas para outras perguntas são indicadas pela carta Q seguiu pelo número de pergunta; por exemplo, (Q9) indica aquela informação adicional é achada em questão 9. - São mostradas referências técnicas em parênteses; por exemplo, [2] é uma referência a nota 2 técnica. - Notas técnicas seguem o FAQ principal. -" São juntadas notas internacionais" a notas técnicas regulares, assim [nota 2 Internacional] é uma seção dentro de nota 2 técnica.


1) O que são estações de telefonia móvel, e quais os riscos associados a trabalhar, morar, jogar ou estudar em uma escola perto de uma?  

Não. As estações base de telefonia celular são rádios de multicanal bidirecional de baixa potência. Um telefone celular é um rádio bidirecional de monocanal de baixa potência.

        Quando você usa um telefone celular, está enviando sinais a uma estação base. A partir da estação seu sinal se transfere aos cabos terrestres.

        Todos os telefones com as estações base são de baixa potência (curto alcance), então os níveis de exposição a radiação de radiofreqência produzidas sõ geralmente muito baixos.

        A comunidade científica está de acordo que a potência gerada por estas antenas de telefonia celular é bem baixa para produzir riscos a saúde.


2) Existe alguém seriamente preocupado com possíveis riscos a saúde humana oriundos de antenas de estações de telefonia celular?

Não realmente. Existem algumas razões para se preocupar com os problemas em relação a saúde humana devido aos telefones celulares. Esta preocupação existe porque as antenas e os telefones transmitem grande de sua energia em forma de radiofrequência a distâncias muito pequenas do corpo do usuário. As antenas de estações não criam "pontos quentes" assim possíveis temas de segurança a respeito de telefones celulares não se aplicam as antenas de estações base.


3) faça as diferenças entre telefones de cela, telefones de PC, e outros tipos de telefones portáteis importa quando avaliando os impactos potenciais de antenas de estação básicas saúde humana acesa?

Não. Há muitas diferenças técnicas entre telefones de cela, telefones de PC, e os tipos de" cela" telefones usados em outros municípios [2, também veja nota 2 internacional]; mas para avaliação de possíveis periculosidades, a única distinção que assuntos são que eles operam a freqüências ligeiramente diferentes. O radiowaves de alguma base estaciona (por exemplo, those for the cell phones used in the U.S.) may be absorbed by humans somewhat more than the radiowaves from other types of base stations (e.g., esses para os telefones de PC usados no EUA) [23]. Porém, uma vez a energia é absorvida os efeitos são o mesmo.


4) faça as diferenças entre antenas de estação de base e outros tipos de rádio e TELEVISÃO antenas difundidas importam quando avaliando os impactos potenciais deles/delas em saúde humana?

Sim e não. O radiowaves de algumas antenas (particularmente FM e VHF-TELEVISÃO antenas difundidas) é absorvido mais por humanos que o radiowaves de outras fontes (como telefone celular ou PC fundam antenas de estação); mas uma vez a energia é absorvida os efeitos são basicamente o mesmo.

Além disso, FM e antenas de TELEVISÃO são 100 a 5000 vezes mais poderoso que antenas de estação básicas, mas está montado em muitas torres mais altas (tipicamente 800 a 1200 ft).


5) telefone celular e PC fundam antenas de estação produzem radiação?

Sim. Celular e os PC telefonam e as antenas de estação básicas deles/delas são rádios, e produz radiofrequency (RF) radiação [3]; isso é como eles trabalham. Esta radiação de radiofrequency está non-ionizando", e seus efeitos biológicos são fundamentalmente diferentes da" radiação ionizando" produzida por máquinas de radiografia [veja Q6].


6) a radiação non-ionizando é (radiowaves) de telefone celular e PC antenas de estação fundam semelhante a ionizar radiações como Radiografias?

Não. A interação de material biológico com uma fonte eletromagnética depende da freqüência da fonte [4]. Radiografias, radiowaves e" EMF" de fios de alta tensão são toda a parte do espectro eletromagnético, e as partes do espectro são caracterizadas pela freqüência deles/delas. A freqüência é a taxa à qual o campo eletromagnético muda direção e é determinado em Hertz (Hz), onde um Hz é um ciclo (mudança em direção) por segundo, e 1 megahertz (o MHz) é um milhão de ciclos por segundo.

Energia elétrica no EUA está a 60 Hz. É rádio tem uma freqüência de ao redor 1 MHz, rádio de FM tem uma freqüência de ao redor 100 MHz, fornos de microonda têm uma freqüência de 2450 MHz, e Radiografias têm freqüências anterior milhões de MHz. Telefones celulares operam a 860-900 MHz, e telefones de PC operam a 1800-2200 MHz [também veja nota 2 internacional].

À característica de freqüências extremamente alta de Radiografias, partículas eletromagnéticas têm energia suficiente para quebrar laços químicos (ionização). Isto é como dano de Radiografias o material genético de celas, conduzindo potencialmente a câncer ou defeitos de nascimento. A mais baixas freqüências, como radiowaves, a energia das partículas é muito muito baixo para quebrar laços químicos. Assim radiowaves estão non-ionizando." Porque non-ionizando radiação não podem quebrar laços químicos, não há nenhuma semelhança entre os efeitos biológicos de ionizar radiação (radiografias) e radiação de nonionizing (radiowaves) [4].

O Espectro Eletromagnético

The Electromagnetic Spectrum


7) o radiowaves são de telefone celular e PC funde antenas de estação semelhante para o" EMF" produziu através de fios de alta tensão?

Não. Fios de alta tensão não produzem nenhuma radiação non-ionizando significante, eles produzem campos elétricos e magnéticos. Em contraste com non-ionizar radiação, estes campos não radiam energia em espaço, e eles deixam de existir quando poder é virado fora. Não está claro como, ou até mesmo se, campos de fio de alta tensão produzem efeitos biológicos; mas se eles fizerem, não é da mesma forma que radiowaves de poder alto produzem efeitos biológicos [4, 53]. Parece não ser nenhuma semelhança entre os efeitos biológicos de fio de alta tensão" EMF" e os efeitos biológicos de radiowaves.


8) há normas de segurança para telefone celular e PC funde antenas de estação?

Sim. Há diretrizes de segurança nacionais e internacionais para exposição do público para o radiowaves produzido por telefone celular e PC funde antenas de estação. Os padrões o mais amplamente aceitos são esses desenvolvidos pelo Instituto de Elétrico e Eletrônica Cria e americano Instituto de Padrões Nacional (ANSI/IEEE) [5], a Comissão Internacional em Non-ionizar Proteção de Radiação (ICNIRP) [6], e o Conselho Nacional em Proteção de Radiação e Medidas (NCRP) [7].

Estes padrões de radiofrequency são expressados em" avião onda poder densidade" que está medido em mW/cm-sq (milliwatts por centímetro quadrado) [8]. Para PC (1800-2000 MHz) antenas, o 1992 ANSI/IEEE exposição padrão para o público geral é 1.2 mW/cm-sq. Para telefones celulares analógicos (aproximadamente 900 MHz), o ANSI/IEEE exposição padrão para o público geral é 0.57 mW/cm-sq [9]. Os padrões de ICNIRP são ligeiramente abaixe e os padrões de NCRP são essencialmente idênticos [10].

Em 1996 Comissionam as Comunicações Federais norte-americanas (o FCC) libertou diretrizes de radiofrequency para as freqüências e dispositivos que eles regulam, enquanto incluindo telefone celular e PC fundam antenas de estação [11]. Os padrões de FCC para telefone celular e PC fundam antenas de estação são essencialmente idênticas ao padrão de ANSI/IEEE [5].

Os padrões de exposição públicos aplicam para dar poder a densidades calculadas a média em cima de períodos relativamente curtos para cronometrar, 30 atas no caso do ANSI/IEEE, NCRP, e padrões de FCC (aos PC e telefônicas freqüências celulares). Onde há antenas múltiplas, estes padrões aplicam ao poder total produzido por todas as antenas [13].

Veja nota 12 internacional.


9) há uma base científica para estas normas de segurança de radiofrequency?

Sim. Quando os cientistas examinaram toda a literatura publicada nos efeitos biológicos de radiowaves que eles acharam que a literatura concordou em vários pontos chave [veja 1, 5, 6, 7, 14, 53, 83, 90, 95, 96 e 99 para detalhes]:

  1. A pesquisa em radiowaves é extensa [15], e é adequado para estabelecer normas de segurança.
  2. Exposição para radiowaves pode ser perigosa se a exposição for suficientemente intensa. Possíveis danos incluem cataratas, queimaduras de pele, queimaduras fundas, esgotamento de calor e insolação. Veja o Reeves [126] para uma discussão dos efeitos conhecidos de overexpose para radiação de RF em humanos.
  3. Efeitos biológicos de radiowaves dependem da taxa de absorção de energia [8]; e dentro de uma gama larga de freqüências (1 a 10,000 MHz), a freqüência importa muito pequeno.
  4. Efeitos biológicos de radiowaves são proporcionais à taxa de absorção de energia; e a duração de assuntos de exposição muito pequeno [96].
  5. Nenhum efeito perigoso foi reproducibly mostrados debaixo de uma certa taxa de absorção de energia de corpo inteira [16].

 

Baseado nestes consensos científicos, agências diferentes e países levaram aproximações diferentes a fixar normas de segurança. Uma aproximação típica era isso usado por ANSI/IEEE [5] e o FCC [11].

ANSI/IEEE e FCC aplicaram uma margem de segurança de 10-dobra para estabelecer diretrizes de exposição profissionais. Eles aplicaram uma margem de segurança de 5-dobra adicional então para exposição contínua do público geral. Finalmente, foram feitos estudos detalhados para estabelecer a relação de densidade de poder que pode ser medida habitualmente a absorção de energia que realmente importa [8].

O resultado era uma diretriz de exposição pública altamente conservadora que era fixo a um nível que é só 2% do nível onde reproduziu efeitos biológicos foi observado de fato.


10) todas as normas de segurança são o mesmo?

Não. Há diferenças entre os padrões. ANSI/IEEE, ICNIRP, NCRP e FCC todo o uso os mesmos dados biomédicos, e a mesma aproximação geral para estabelecer diretrizes de segurança. Porém, há diferenças nos modelos usados pelos grupos diferentes, e conseqüentemente há diferenças leves nos números finais [17]. Nenhuma significação biológica deveria ser associada com estas diferenças leves.

Vários países têm os próprios regulamentos deles/delas para exposição pública para radiação de RF de telefone base estação antenas móveis. Enquanto a maioria destes regulamento segue os mesmos padrões e razões usadas por ANSI/IEEE [5] e ICNIRP [6], eles diferem. Veja nota 12 para detalhes.


11) faz o U. S. tenha diretrizes de segurança para estações de base de telefone móveis?

Sim. Até as 1996 o U. S. Comissão de Comunicação federal (o FCC) usado um fora-datado (1982) padrão de ANSI que realmente foi projetado para profissional, em lugar de exposição pública. Em 1996 o FCC adotou um padrão novo baseado no que é o mais novo (1992) padrão de ANSI, mas que não é idêntico a isto [11].

O padrão de FCC novo para telefone móvel estações básicas são 0.57 mW/cm-sq para telefônicas freqüências celulares e 1.0 mW/cm-sq para PC telefônicas freqüências. Este 1996 padrão de FCC aplicou a todos os transmissores novos autorizados depois 15-oct-97, mas preexistindo instalações tidas até que 1-Sep-2000 demonstrar complacência.

Os FCC poder-densidade padrões descritos acima aplicam a inteiro-corpo exposição pública para radiação de rádio-freqüência de estações de base de telefone móveis; eles não aplicam a exposição dos telefones eles ou para exposição profissional. Para uma discussão de exposição dos telefones ou uma discussão de RF radiação exposição profissional FCC OET vêem Boletim 56 [135], a própria diretriz de FCC [11], e Foster e Moulder [131].


12) telefone celular e PC podem fundar antenas de estação conhecem as normas de segurança?

Sim. Com próprio desígnio, fundam telefone celular e PC antenas de estação podem conhecer todas as normas de segurança por uma margem larga.

Uma baixo-ganho base estação antena, 10 metros montados (30 ft) fora o chão e operou ao máximo possível intensidade, poderia produzir uma densidade de poder tão alto quanto 0.01 mW/cm-sq no chão perto do local de antena; mas chão densidades de poder niveladas estarão mais freqüentemente no 0.00001 a 0.0005 mW/cm-sq percorra [57, 77, 123, 130]. Estes dão poder a densidades são distantes debaixo de todas as normas de segurança, e os padrões eles são longe fixos debaixo do nível onde potencialmente foram vistos efeitos perigosos.

Dentro de aproximadamente 200 metros (600 ft) da base do local de antena, a densidade de poder pode ser maior a elevações sobre a base do local de antena (por exemplo, ao segundo chão de um edifício ou em uma colina). Até mesmo com antenas múltiplas, e com telefone celular e antenas de PC na mesma torre, densidades de poder serão menos que 2% das diretrizes a todas as alturas e a todas as distâncias de mais de 60 metros (180 ft) de um local de antena.

Mais adiante que aproximadamente 200 metros (600 ft) da antena local poder densidade não suba com elevação aumentada.

Dê poder a densidade dentro de um edifício será mais baixo por um fator de 3 a 20 que fora de [54,130].

Peterson al de et [77] densidades de poder medidas ao redor de cela telefônicas estações de base. As medidas eram para 1600 W (ERP) baixo-ganhe antenas (veja Q14H para uma discussão de poder de antena e ganho) em torres que variaram de 40 a 83 metros (120 a 250 ft) em altura. A densidade de poder de máximo no chão era 0.002 mW/cm-sq, e o máximo estava a 20 a 80 metros (60-240 pés) da base das torres. Dentro de 100 metros (300) pés da base das torres, a densidade de poder comum era menos de 0.001 mW/cm-sq. Estes máximo que RF dão poder a densidades são tudo menos que 1% do FCC, ANSI/IEEE, NRPB e padrões de ICNIRP para exposição pública.

Em 1999 no Vancouver Canadá, Thansandote et al [123] níveis de RF medidos em cinco escolas três de que tiveram estações básicas neles ou perto deles. Todas as escolas satisfizeram para o canadense, EUA e padrões de RF internacionais por uma margem larga. As leituras de máximo são mostradas na mesa seguinte.

RF Levels no Escolas canadenses Perto de Cela Telefone Base Estações

Escola

 

Local de Estação básico

Máximo Nível de RF

1

PC fundam estação por rua

0.00016 mW/cm-sq

2

estação de base analógica em telhado

0.0026 mW/cm-sq

3

estação de base analógica por rua

0.00022 mW/cm-sq

4 e 5

nenhuma antena perto

menos de 0.00001 mW/cm-sq

 

Padrão de canadense

menos de 0.57 mW/cm-sq

Em 2000, o REINO UNIDO Tábua de Proteção de Radiação Nacional [130] radiação de radiofrequency medida nivela ao redor em 118 locais publicamente-acessíveis 17 cela telefônicas estações de base. A exposição de máximo em qualquer local era 0.00083 mW/cm-sq (em um campo jogando 60 metros de um edifício escolar com uma antena em seu telhado). Densidades de poder típicas eram menos de 0.0001 mW/cm-sq (menos que 0.01% do ICNIRP diretrizes de exposição públicas). Dê poder a em lugar fechado densidades eram substancialmente ao ar livre menos que densidades de poder. Quando radiação de radiofrequency de todas as fontes (telefone de cela, rádio de FM, TELEVISÃO, etc.) foi levado em conta a densidade de poder de máximo em qualquer local era menos que 0.2% do ICNIRP diretrizes de exposição públicas. São mostrados detalhes na figura seguinte.

Radiofrequency Radiação Níveis Se aproximam Estações de Base de Telefone Móveis no REINO UNIDO

Radiofrequency Radiation Levels Near Mobile Phone Base Stations in the UK

A relação entre a RF poder densidade e distancia da base da torre ou construindo no qual a telefônica antena de base móvel ficava situada. Adaptado de Mann et al. [130].

A relação entre os níveis de RF exigiu produzir efeitos biológicos conhecidos, os níveis de RF especificaram nas FCC segurança diretrizes, e os níveis de RF acharam ao redor de telefone móvel estações básicas é mostrado na figura seguinte.

Padrões para Estações de Base de Telefone Móveis

Standards for Mobile Phone Base Stations

A relação entre o RF poder densidade nível exigiu produzir efeitos biológicos conhecidos, o RF dão poder a níveis de densidade especificados nas FCC segurança diretrizes, e o RF dão poder a níveis de densidade achados ao redor de estações de base de telefone móveis. Porque o RF dão poder a que densidade exigida produzir efeitos biológicos é dependente em freqüência, esta figura só aplica a freqüências entre 800 e 2200 MHz (quer dizer, esses atualmente usados por análogo e telefones celulares digitais).


13) há circunstâncias onde telefone celular e PC fundam antenas de estação não podem conhecer as normas de segurança?

Sim. Há algumas circunstâncias debaixo de qual um telefone celular impropriamente projetado e os PC fundam antena de estação poderia violar normas de segurança.

Normas de segurança para descontrolado (o público) exposição poderia ser violada se antenas estivessem montadas de tal um modo que o público pudesse ganhar acesso a áreas dentro de 20 pés (horizontal) das antenas eles [18]. Isto poderia surgir para antenas montadas em, ou se aproxima, os telhados de edifícios. Para antenas montadas em torres, é muito difícil de imaginar uma situação que não conheceria as normas de segurança.

Normas de segurança para controlado (profissional) exposição poderia ser violada se antenas estivessem montadas em uma estrutura onde acesso de trabalhador para áreas dentro de 10 pés as antenas são requeridas [18]. Peterson al de et [77], por exemplo, ache que 2-3 pés de um 1600 W (ERP) baixo-ganhe antena de telhado, a densidade de poder era tão alta quanto 2 mW/cm-sq (comparou ao ANSI [9] padrão de exposição público de 1.2 a 0.57 mW/cm-sq).


14) que critérios de siting são exigidos assegurar que um telefone celular e PC fundam que antena de estação conhecerá normas de segurança?

Enquanto recomendações específicas requerem um conhecimento detalhado do local, a antena, e a ascensão estruture, alguns critérios gerais podem ser fixados.


14A) o que é alguns critérios de siting gerais?

  1. Deveriam ser projetados locais de antena de forma que o público não pode acessar áreas que excedem o 1992 ANSI [5] ou FCC [Q11] padrões para exposição pública. Como regra geral, o descontrolado (o público) padrão de exposição não pode ser excedido mais de 20 pés de uma antena [18].
  2. Se há áreas acessível para trabalhadores que excedem o 1992 ANSI [5] ou FCC [Q11] padrões para descontrolado (o público) exposição, faz os trabalhadores seguros saber onde as áreas são, e que precauções precisam ser levadas ao entrar nestes áreas. Em geral, estas seria áreas menos de 20 pés das antenas [18].
  3. Se há áreas que excedem o 1992 ANSI [5] ou FCC [Q11] padrões para controlado (profissional) exposição, tem certeza que os trabalhadores sabem onde estas áreas são, e que eles podem (e faz) poder-abaixo (ou fechou) os transmissores ao entrar nestes áreas. Tais áreas podem não existir; mas se eles fizerem, eles serão limitados a áreas dentro de 10 pés das antenas [18].

Se há perguntas aproximadamente se estas diretrizes são conhecidas, complacência deveria ser verificada por medidas feitas depois que as antenas sejam ativadas.

As diretrizes de FCC [11] requeira medida de and/or de cálculos detalhada de radiação de radiofrequency para alguns transmissores de telhado de alto-poder, e alguns transmissores de alto-poder cujas antenas estão montadas em baixas torres [19].

Em geral, as anteriores diretrizes sempre serão conhecidas quando são colocadas antenas nas próprias torres deles/delas. Problemas, quando eles existirem, geralmente é limitado para:

Veja nota 19 internacional.


14B) Como você pode contar a diferença entre um alto-ganho (setor) antena e um baixo-ganho (chicote) antena?

Porque critérios de siting para alto - e baixo-ganha antenas são diferentes é importante para poder lhes falar separadamente (veja Q14H para uma discussão de ganho de antena). Felizmente, as antenas parecem bastante diferentes:

Distinga os Dois Tipos de Antena

Distinguish the Two Antenna Types


Até mesmo de longe o local (torres) para alto - e baixo-ganha antenas parecem diferentes. Quando alto-ganha antenas estão montadas em edifícios, eles podem não ser óbvios, particularmente se eles são montados aos lados de construir, ou mais geralmente para os lados de coberturas.

Modos diferentes para Montar Antenas

Diffent Ways to Mount Antennas


14C) o para o qual é a diferença entre os padrões de RF alto-ganha e baixo-ganha antenas?

Os padrões de RF para os dois tipos diferentes de antenas são muito diferentes. Para um baixo-ganho (chicote) antena com um 1000 W ERP típico (veja Q14H para uma discussão de poder de antena e ganho) do tipo usado pela maioria cela telefônicas estações de bases, o padrão se parece:

Emissões de RF de um 1000 W ERP Low-Gain Antena (cela analógica Típica telefônica antena de estação de base)

RF Emissions from a 1000 W ERP Low-Gain Antenna


Muito perto de uma antena de baixo-ganho (em o que é tecnicamente conhecido como o" próximo campo"), a densidade de poder ao redor de uma antena se parece:

Emissões de RF de um 1000 W ERP Low-Gain Antena (visão de Topo da densidade de poder perto da antena)

RF Emissions from a 1000 W ERP Low-Gain Antenna - Close View

Foram adaptados os dados para a anterior figura (com permissão) de desenhos providos por UniSite Inc. de Tampa, Flórida (http://www.unisite.com).


Para um alto-ganho (setor) antena do tipo usada em PC funda estações, o padrão se parece:

Emissões de RF de um Único 1000 W ERP High-Gain Antena (telefone de cela digital Típico ou PC fundam antena de estação)

RF Emissions from a 1000 W ERP High-Gain Antenna


Se lembre de que uns PC típicos estação básica usará 3 (ou ocasionalmente 4) destes antenas de transmissão, tudo que apontam em direções diferentes.

Muito perto de um único alto-ganhe antena (em o que é tecnicamente conhecido como o" próximo campo"), a densidade de poder ao redor de uma antena se parece:

Emissões de RF de um Único 1000 W ERP High-Gain Antena (visão de Topo da densidade de poder perto da antena)

RF Emissions from a 1000 W ERP High-Gain Antenna - Close View

Foram adaptados os dados para a anterior figura (com permissão) de desenhos providos por UniSite Inc. de Tampa, Flórida (http://www.unisite.com).


14D) Está seguro se manter no chão de topo de um edifício que tem um telefone de cela ou antena de estação básica aceso isto?

Em geral este não será um problema.

  1. Como pode ser visto dos padrões de antena mostrados em Q14C, nenhum alto - ou baixo-ganha antenas radiam muita energia diretamente abaixo.
  2. O telhado do edifício absorverá quantias grandes da energia de RF. Tipicamente seria esperado que um telhado diminua força notável por um fator de 5 a 10 (ou mais para um concreto reforçado ou telhado de metal).
  3. FCC requererá avaliações de RF de todos menos o a maioria baixo-deu poder a transmissores de telhado (veja nota 19).
  4. Até mesmo um pior caso cálculo prediz aquela densidade de poder no chão debaixo de uma antena conhecerá todas as normas de segurança de RF atuais [55].
  5. Medidas atuais em apartamentos de chão de topo e corredores confirmam a densidade de poder será distante debaixo de todas as normas de segurança de RF atuais [55].

14E) É restrições de uso ou" jogo-parte de trás" requeridas ao redor de telefone celular ou PC fundam locais de antena de estação? Q16

Não. Radiofrequency segurança diretrizes não requerem retrocessos ou restrições de uso ao redor celular ou os PC fundam locais de antena de estação, desde que níveis de poder no chão nunca são altos bastante exceder as diretrizes para exposição pública contínua (veja Q8 e Q12).

Como discutido em Q13 e Q14, pode haver circunstâncias onde usam restrições terão que ser colocadas ao redor das antenas eles.


14F) Que precauções precisam ser levadas quando trabalhando telefone base estação antenas móveis ao redor?

Uma discussão detalhada de radiação de rádio-freqüência diretrizes de segurança profissionais estão além da extensão deste FAQ.

Em uma discussão detalhada de diretrizes para instalação de antena de telecomunicações, Conte [116] faz as recomendações seguintes:

Diretrizes de Instalação de Antena específicas (de Conte [116])

  1. Para antenas telhado-montadas, eleve as antenas transmitindo sobre a altura das pessoas que podem ter que estar no telhado.
  2. Para antenas telhado-montadas, mantenha as antenas transmitindo longe das áreas onde as pessoas são provável ser (por exemplo, roof access points, telephone service points, HVAC equipment).
  3. Para antenas direcionais telhado-montadas, coloque as antenas perto da periferia e os aponte longe do edifício.
  4. Considere o comércio fora entre antenas de abertura grandes (mais baixo máximo RF) e antenas de abertura pequenas (abaixe impacto visual).
  5. Se lembre aqueles padrões de RF são mais rígidos para antenas de abaixar-freqüência (por exemplo, 900 Mhz) than for higher-frequency antennas (e.g., 1800 MHz).
  6. Leve precauções especiais para manter antenas de alto-poder longe de áreas acessíveis.
  7. Persista antenas separadamente em um local como para como possível; embora isto pode correr ao contrário de exigências de zoneamento locais.
  8. Leve precauções especiais quando "co-local artificioso" que locais onde antenas múltiplas possuíram através de companhias diferentes estão na mesma estrutura. Isto aplica particularmente a locais que incluem radiodifusão de alto-poder (FM/TV) antenas. Zoneamento local favorece freqüentemente co-local, mas co-local pode prover" RF segurança problemas desafiadores."

Práticas de trabalho por Reduzir Exposição de Radiação de Rádio-freqüência (de Conte [116])

  1. Deveriam ser informados indivíduos que trabalham em locais de antena sobre a presença de radiação de RF, o potencial para exposição e os passos eles podem levar para reduzir a exposição deles/delas.
  2. "Se radiação de radiofrequency em um local puder exceder o padrão de FCC para exposições de public/uncontrolled gerais, então o local deveria ser postado com sinais apropriados." [Por Richard Tell, comunicação pessoal, 2000 de fevereiro]
  3. Radiação de rádio-freqüência nivela em um local deva modelado antes do local é construído.
  4. Radiação de rádio-freqüência nivela em um local deva medido.
  5. Assuma que todas as antenas são a toda hora ativas.
  6. Incapacite (fechadura fora) todos os transmissores fixos antes de trabalhar em uma antena.
  7. Use monitores pessoais para assegurar que todos os transmissores estiveram abaixo na verdade fechados.
  8. Mantenha uma distância segura de antenas. "Como um guia prático por manter [radiação de rádio-freqüência] exposições mogem, mantenha um 3-4 ft [1-1.2 m] distância de qualquer [telecomunicações] antena". [ 116]
  9. "Continue movendo" e" evite exposição desnecessária e prolongada em proximidade íntima para antenas."
  10. Em algum local (por exemplo, multiple antennas in a restricted space where some antennas cannot be shut down) it may be necessary to use protective clothing.
  11. Se lembre que há que muitos non-RF aventura locais no máximo (por exemplo, dangerous machinery, electric shock hazard, falling hazard), so allow only authorized, trained personnel at a site.

14G) Como você avalia complacência com diretrizes de radiação de rádio-freqüência para estações de base de telefone móveis?

Complacência pode ser avaliada por medidas ou cálculos. Ambos os métodos requerem um entendendo sólido das físicas de radiação de RF, e medidas requerem acesso a equipamento sofisticado e caro.

Cálculo: Se o poder radiado efetivo (ERP) e ganho de antena da antena de estação básica é conhecido (veja Q14H para uma discussão de ERP e ganho) e a altura da antena é conhecida, então" pior caso" cálculos de chão que densidade de poder nivelada pode ser feita. Porém, o método de cálculo não é simples e o ERP é freqüentemente desconhecido (altura e ganho de antena podem ser calculados por inspeção visual de um local).

Medida: medida Atual de densidade de poder de telefone móvel estações básicas requerem equipamento sofisticado e caro e conhecimento técnico considerável. Os instrumentos projetados para medir campos de fio de alta tensão e os instrumentos projetados para testar fornos de microonda não são satisfatórios para medir estações básicas. Determinando aquelas estações de base conhecem ANSI/IEEE, FCC, NRPB é padrões de ICNIRP é" relativamente fácil", mas os instrumentos requereram valido bem em cima do EUA $$2000. Medida atual da poder-densidade de uma antena de estação básica é muito mais difícil, como lá muitas outras fontes de radiação de RF estão em um local típico (veja Mann et al [130]).

Para uma discussão técnica de técnicas de medida e instrumentação vêem Mann et al [130] e NCRP Report Nenhum. 119 [134].


14H) o que faz as frases" antena ganha"," "poder de transmissor e" poder radiado efetivo (ERP)" mau?

O poder de uma telefônica estação de base móvel normalmente é descrito por seu poder radiado efetivo (ERP) que é determinado em watts (W). Alternativamente, o poder pode ser dado como poder de transmissor (em watts) e o ganho de antena.

Poder de transmissor é uma medida de poder total, enquanto ERP é uma medida do poder na viga principal. Se uma antena fosse omni-direcional e 100% eficiente, então poder de transmissor e ERP seriam o mesmo. Mas telefone base estação antenas móveis (goste a maioria das antenas) não é omni-direcional; eles são moderadamente (baixo-ganhe antenas) para altamente (alto-ganhe antenas) direcional. O fato que eles são meios direcionais que eles concentram o poder deles/delas em algumas direções, e distribui muito menos poder em outras direções.

Ganho de antena é uma medida de como direcional uma antena é; está medido em decibéis (dB). Por exemplo, um 30 transmissor de W com uma 15 antena de dB (razoavelmente típico para um sectored estação de base de telefone móvel) teria um ERP de 950 W.

Talvez o conceito de" ganho" e" ERP" é explicado melhor por analogia a lâmpadas incandescentes. Compare uma 100 lâmpada incandescente de W regular e um 100 W manchem luz. Ambos têm o mesmo poder total, mas a luz de mancha é muito mais luminosa quando você estiver em sua viga e muito mais fraco quando você está fora de sua viga principal. Uma telefônica antena de base móvel (particularmente uma antena de painel de alto-ganho) está como a luz de mancha, e ERP é equivalente ao poder na viga principal da luz de mancha.

Para uma discussão técnica mais completa destes assuntos veja Seção 2.2.11 de Relatório de NCRP Nenhum. 119 [134].


15) todo o mundo concorda com as normas de segurança de RF atuais?

Não todo o mundo. Até mesmo entre cientistas há alguns pessoas que reivindicação que há evidência que baixa exposição nivelada para RF é perigosa (veja, por exemplo, Q15B e Q15C). Porém, até mesmo estes cientistas não discutem geralmente aquelas densidades de poder tão baixo quanto esses acharam que locais de antena de estação básicos ao redor corretamente-projetados são perigosos.


15A) Faz o U. S. Agência de Proteção do ambiente (EPA) pensa que as normas de segurança atuais para celular e telefones de PC são adequados?

Sim. O EPA pediu para o FCC que adotasse partes das 1986 diretrizes de NCRP [7] em lugar de as 1992 diretrizes de ANSI inteiras [5]. Este o FCC fez [11], e EPA endossou as normas de segurança de FCC formalmente.

Em uma 25-Jul-96 carta para Reed Hunt (o Presidente do FCC), Carol mais Marrom (o Diretor de EPA) escreveu:

"Nós revisamos... 'Draft de FCC de 2 de julho de 1996, no Assunto de Diretrizes por Avaliar Os Efeitos Ambientais de Radiação de Radiofrequency.' This new approach... endereços nossas preocupações sobre proteção adequada de saúde pública. Eu o recomendo por levar esta aproximação..."

Em uma 17-Jan-97 carta de seguimento para Reed Hunt (o Presidente do FCC), Mary Nichols (EPA o Administrador Assistente para Ar e Radiação) escreveu:

"Eu gostaria de reiterar o apoio de EPA das RF exposição diretrizes finais de FCC emitido em agosto [de 1996] como provendo proteção adequada de saúde pública."

Em um 30-abril-1999 carta para o FCC, Robert Brenner (EPA Deputado Assistant Suplente o Administrador para Ar e Radiação) declarou:

"As diretrizes de FCC levam em conta efeitos térmicos de energia de RF expressamente, mas não endereça efeitos non-térmicos diretamente postulados, como esses devido a exposição crônica. Isso é em grande parte o caso por causa da penúria de pesquisa científica em efeitos de saúde crônicos, non-térmicos. As informações fundam em efeitos de saúde non-térmicos não mudou significativamente como os comentários originais do EPA em 1993 e 1996. Alguns relatório de estudos isso a níveis non-térmicos, a longo prazo exposição para energia de RF pode ter conseqüências biológicas. A maioria de atualmente estudos disponíveis sugere, porém, que não há nenhuma periculosidade de humano non-térmica significante. Continua sendo a visão de EPA então que as FCC exposição diretrizes protegem o público adequadamente de tudo danos cientificamente estabelecidos que podem ser o resultado de RF energia campos gerou por "licenciados de FCC.


15B) Tem um grupo australiano reivindicado que há evidência que perto de TELEVISÃO viva causas de torres difundidas um aumento em leucemia de infância?

Sim e não. Aquela reivindicação foi feita em 1996, mas estudos de seguimento na Austrália (veja abaixo) e no REINO UNIDO (veja Q15D) contradiga esta reivindicação.

Hocking e colegas [28] publicou um" estudo de epidemiologia ecológico" que compara municipalidades" perto de "torres de TELEVISÃO para esses avance fora. Nenhuma exposição de RF estava realmente medida, mas os autores calculam que exposições nas municipalidades" perto de "torres de TELEVISÃO eram 0.0002 a 0.008 mW/cm-sq. É levada em conta nenhuma outra fonte de exposição para RF, e o estudo está baseado em só uma única área metropolitana. Os autores informam uma incidência elevada de leucemia total e leucemia de infância, mas nenhum aumento em incidência de tumor cerebral total ou incidência de tumor cerebral de infância.

Estudos de epidemiologia mais detalhados de antenas de FM/TV no REINO UNIDO não acharam evidência para uma conexão de câncer (veja Q15D).

Em 1998, McKenzie e colegas [62] repetido o Hocking estudam [28]. McKenzie e colegas olharam para a mesma área, e ao mesmo tempo período; mas eles fizeram estimativas mais precisas da exposição de RF que as pessoas entraram várias áreas. Eles acharam leucemia de infância aumentada em uma área perto das antenas de TELEVISÃO, mas não em outras áreas semelhantes perto das mesmas antenas de TELEVISÃO; e eles não acharam nenhuma correlação significante entre exposição de RF e a taxa de leucemia de infância. Eles também acharam tanto da" "leucemia de infância de excesso informada por Hocking et al aconteceu antes de 24-hora de alto-poder TELEVISÃO radiodifundindo tinha começado. Este estudo de réplica, mais o fracasso para achar qualquer efeito no REINO UNIDO maior estuda (veja Q15D), sugere que correlação informou através de Hocking et al [28] era um artefato.


15C) Tem um epidemiologista israelita reivindicado que há evidência que RF exposição causas de baixo nível uma variedade de efeitos de saúde?

Sim. Em um 1995 artigo etiquetou um" "pedaço de opinião, Ourives [29A] discute que há evidência que exposição de RF é associada com mutações, defeito de nascimento, e câncer. Esta revisão é em grande parte baseada em o que o autor admite para ser non-semelhante-revisado fontes" a maioria de que são declaradas estar" incompleto" e faltar" estimativas de dose seguras." O autor estados adicionais que" nenhum esforço sistemático para incluir relatórios negativos é feito; assim esta revisão tem um preconceito informando positivo."

Em um artigo baseado em uma 1996 apresentação de reunião [29B] o Ourives discute aqueles estudos epidemiológicos" sugerem que exposições de RF sejam potencialmente carcinogênicas e têm outros "efeitos de saúde. As conclusões dele são em grande parte baseadas em: - estuda de exposição de RF na embaixada de EUA em Moscou (veja Q16 e Colina [68]); - a" correlação geográfica" estuda de Hocking et al [28] e Dolk et al [34, 35] isso é discutido em Q15B e Q15D; - o estudo de operadores de radar de guerra coreanos através de Robinette et al [67] isso é discutido em Q16.

Poucos cientistas concordam com as opiniões expressas por Ourives (veja, para exemplos as revisões da epidemiologia de RF em 1, 5, 6, 7, 14, 53); e até menos estaria disposto para fundar uma conclusão nos tipos de fontes de dados nas que o Ourives confia.


15D) Tem um grupo britânico informado leucemia de excesso e linfoma ao redor de um alto-poder FM/TV antena difundida?

Sim e não. Dolk e colegas [34] investigou uma leucemia informada e agrupamento de linfoma perto de um alto-poder FM/TV antena difundida a Sutton Coldfield no REINO UNIDO. Eles acharam que a incidência de leucemia de adulto e câncer de pele era elevada dentro de 2 km da antena, e que a incidência destes cânceres diminuiu com distância. Foi vista nenhuma associação nada para câncer de cérebro, macho ou câncer de peito feminino, linfoma ou qualquer outro tipo de câncer.

Por causa deste achado, Dolk e colegas [35] estendido o estudo deles/delas para 20 outro alto-poder FM/TV antenas difundidas no REINO UNIDO. Cânceres examinados eram leucemia de adulto, melanoma de pele e câncer de bexiga, e leucemia de infância e câncer de cérebro. Foi achada nenhuma elevação de incidência de câncer perto das antenas, e foi visto nenhum declínio em incidência de câncer com distância. Este estudo grande não apóia os resultados achados dentro o muito estudos menores pelos mesmos autores a Sutton Coldfield [34] ou através de Hocking et al [28] na Austrália.


15E) Tenha um britânico e um investigador de Nova Zelândia reivindicou que há evidência que baixo-intensidade exposição de RF é perigosa?

Sim e não. Roger Coghill (o REINO UNIDO) e Neil Cherry (Nova Zelândia) foi citado nos meios de comunicação de massa como reivindicando que há evidência que exposição de RF é bem perigosa a intensidades debaixo do ANSI, FCC, ICNIRP e diretrizes de NRPB.

Roger Coghill se aparece um" gerente ambiental" para ser que corre um laboratório que faz [permanente?] ímãs" para ajudar as pessoas que sofrem de dor muscular" ou artrítica [59]. Ele ego-publicou um documento [58] isso explica" a hipótese de Coghill de radiação de morphogenic cerebral." Aparentemente, Coghill acredita que" o cérebro é de fato uma estação de transmissão de rádio completamente operacional orgânica... isso entra em contato de rádio com toda cela em seu corpo" [59]. Ele parece fundar a teoria dele pesadamente em" pesquisa européia" Oriental que não foi publicada no Oeste [59].

Neil Cherry é uma funcionária eleita de Nova Zelândia. e Conferencista Sênior em Meteorologia Agrícola" [60]. Goste de Coghill, ele ego-publicou um documento nos perigos de exposição para baixo-intensidade RF [60]. Cereja foi citada nos meios de comunicação de massa como dizendo que" "exposição de EMF é" altamente statistically associado com efeitos de saúde que embora não há nenhuma prova científica que EMF causou a saúde efetua" [61]. De acordo com Cereja, estes efeitos de saúde incluem" câncer em muitos locais no corpo, durma rompimento, síndrome de fadiga crônica, falha, que nascimento deserta, EEG humano alterado e ritmos circadianos e vários outros efeitos adversos". [61]. As idéias de cereja parecem depender pesadamente das visões de Ourives (Q15C) e Hocking (Q15B).

Nem Coghill nem Cereja publicaram qualquer coisa na literatura científica semelhante-revisada apoiar as reivindicações deles/delas. Coghill e discussões de mistura de Cereja de campos de poder-freqüência e RF como se eles eram biologicamente equivalentes (que está quase certamente não correto), e confiar inédito pesadamente e non-revisou fontes (que são impossíveis conferir). Os comentários deles/delas para os meios de comunicação de massa foram muito vagos sobre a base científica para as opiniões deles/delas. Até Coghill e presente de Cereja as teorias deles/delas em um foro científico semelhante-revisado, e atrás as teorias deles/delas com dados atuais, é impossível qualquer cientista levar as teorias deles/delas seriamente.


15F) Tem uma Universidade de Washington (Seattle, U.S.A) o investigador reivindicou que há evidência que exposição de RF de estações básicas é perigosa?

Sim e não. Dr. Henry Lai (Departamento de Bioengineering, Universidade de Washington, Seattle) reivindicou em reuniões que" baixa intensidade" radiação de RF tem efeitos no sistema nervoso de ratos. Dr. Lai reivindicou mais adiante em reuniões que lá são publicadas exibição de estudos que radiação de RF pode produzir" "efeitos de saúde em" muito baixo campo" intensidades.

Dr. A própria pesquisa de Lai não tem nenhuma relevância óbvia desde então à segurança de cela telefônicas estações de base a maioria dos estudos dele foi administrado longe com RF radiação intensidades sobre esses que seriam encontrados próximas estações de base. Em geral, Dr. Os estudos de Lai eram terminados com a uma densidade de poder de 1 mW/cm-sq e um SAR de 0.6 W/kg [31, 92, 93]. Esta RF radiação intensidade é mais de 100 vezes maior que isso seria encontrado em áreas publicamente-acessíveis próximas estações de base FCC-complacentes [16], e substancialmente excede o SAR limitam que forma a base do FCC [11] e ANSI [5] diretrizes de segurança para exposição pública [17]. Para discussão adicional da pesquisa em possíveis efeitos de radiação de RF no sistema nervoso revisões vêem por Lai [93] e Juutilainen e de Seze [90].

Em uma reunião em Viena em 1998, e em uma carta enviada a funcionários públicos em 1999, Dr. Referenced de Lai seis estudos em defesa da reivindicação dele que há dados que mostra aquela radiação de RF podem produzir" "efeitos de saúde em" muito baixo campo" intensidades. Estes estudos eram:

Uma revisão dos anteriores achados de estudos pequeno apoio atual para Dr. A reivindicação de Lai.

 

 

 

 

 

 


15G) isso que sobre as reivindicações em TELEVISÃO britânica, americana e francesa que há dados novo que sugere que telefones de cela poderiam causar câncer?

Parece não ser nenhuma real base para estas reivindicações.

No verão e outono de 1999 (e repetido na Primavera de 2000), programas em TELEVISÃO britânica, americana e francesa reivindicaram que havia dados novo que sugere que radiação de RF de telefones de cela pudesse causar dano a humanos. Geralmente foram citadas quatro fontes de" informação nova":

  1. O estudo através de Hardell et al [100] isso é discutido em Q16.
  2. O estudo através de Preece et al [97] isso é discutido em Q19C.
  3. Um estudo de genotoxicity novo e inédito.
  4. Um estudo de epidemiologia novo e inédito.

O último que só foram descritos vagamente dois destes" estudos novos" nos relatórios de TELEVISÃO, mas eles parecem ser referências a estudos patrocinado pela telefônica indústria móvel no EUA (debaixo do programa chamado WTR). O estudo de biologia foi apresentado em uma reunião em março, 1999 e publicou abstratos estão disponíveis [102, 103]. O estudo de epidemiologia foi apresentado em uma reunião em 1999 de junho, mas há nem mesmo um abstrato publicado.

A Comida norte-americana e Administrações de Droga (FDA) parece ter visto os estudos, e publicou os comentários seguintes de 20-oct-99 [para texto cheio vêem http://www.fda.gov/cdrh/ocd/mobilphone.html].

"Investigadores administraram uma bateria grande de testes de laboratório para avaliar os efeitos de exposição a telefônico RF móvel em material genético. Estes testes incluídos para vários tipos de anormalidades, inclusive mutações, aberrações cromossômicas, ADN praia fraturas, e mudanças estruturais no material genético de celas de sangue chamados linfócitos. Nenhum dos testes mostrou qualquer efeito do RF com exceção do micronúcleo analise que descobre efeitos estruturais no material genético. As celas neste ensaio mostraram mudanças depois de exposição para cela simulada telefônica radiação, mas só depois de 24 horas de exposição. É possível que expondo as celas de teste a radiação para isto longo resultem aquecendo. Considerando que este ensaio é conhecido para ser sensível a aquecer, aqueça só poderia ter feito as anormalidades acontecer. Os dados estão conflitando já na literatura na resposta do ensaio de micronúcleo para RF. Assim, pesquisa de seguimento é necessária. [Tice et al. Testes de sinais de telefone móveis para atividade em genotoxicity e outros ensaios de laboratório. Em: Reunião Anual da Sociedade de Mutágeno Ambiental; 29 1999 de março, Washington, D.C.; e comunicação pessoal, resultados inéditos.]."

"Em um hospital-baseado, caso-controle estudo, os investigadores procuraram uma associação entre uso de telefone móvel e qualquer glioma (um tipo de câncer de cérebro) ou neuroma acústico (um tumor benigno da envoltura de nervo). Nenhum statistically que associação significante foi achada entre uso de telefone móvel e neuroma acústico. Também não havia nenhuma associação entre uso de telefone móvel e gliomas quando foram considerados todos os tipos de tipos de gliomas junto. Deveria ser notado que o comprimento comum de telefônica exposição móvel neste estudo era menos de três anos. Quando foram considerados 20 tipos de glioma separadamente, porém, uma associação foi achada entre uso de telefone móvel e um tipo raro de glioma, tumores de neuroepithelliomatous. É possível com comparações múltiplas da mesma amostra que esta associação aconteceu por casualidade. Além disso, o risco não aumentou com com que freqüência o telefone móvel era usado, ou o comprimento das chamadas. Na realidade, o risco na verdade diminuiu com horas cumulativas de telefônico uso móvel. A maioria câncer que causa os agentes aumenta risco com exposição aumentada. É esperado que um estudo contínuo de cânceres de cérebro pelo Instituto de Câncer Nacional afete a precisão e repeatability destes resultados. [Muscat et al. Estudo epidemiológico de Telefone Celular Usa e Tumores cerebrais Malignos. Em: Estado da Ciência Symposium;20 1999 de junho; Praia Longa, Califórnia. ]"

Esquisitamente, a descrição do FDA do trabalho de Tice e colegas não emparelha os abstratos publicados deles/delas completamente [102, 103]. O estado de abstratos que cinco testes de genotoxicity diferentes eram terminados a SARs de 1, 2.5, 5 e 10 W/kg com um 837 MHz sinal analógico e um 1900 MHz sinal digital; e que nenhum dos testes mostrou dano de ADN aumentado, freqüência de micronúcleo aumentada, mutações aumentadas ou aumentou dano de cromossomo.


15H) o que fez o REINO UNIDO Perito Group Independente (o" Stewart Commission") diga sobre a segurança de cela telefônicas estações de base?

Em 2000 de maio, um comitê especial no REINO UNIDO, o" Grupo Especialista Independente em Telefones Móveis" (também conhecido como o" Stewart Commission") emitiu um relatório em telefônica segurança móvel emite [128]. O texto cheio está disponível a: http://www.iegmp.org.uk/IEGMPtxt.htm.

No assunto geral de segurança de radiação de rádio-freqüência, o REINO UNIDO Grupo Especialista Independente concluiu isso:

"O equilíbrio de evidência para datar sugere que exposições para radiação de RF debaixo de NRPB [14] e ICNIRP [6] diretrizes não causam saúde adversa efetua à população geral." [Seção 1.17]

Porém, há evidência científica que sugere agora que pode haver efeitos biológicos que acontecem a exposições debaixo destas diretrizes. Isto necessariamente não significa que estes efeitos conduzem para infectar ou dano, mas é potencialmente informação importante..." [Seção 1.18]

Esta" informação científica nova" à que a Comissão de Stewart recorre é em grande parte o tempo de reação estuda de Preece et al [97] e Koivisto et al [117] isso é discutido em Q19C, e estuda através de al de et de dePomerai [127] que sugerem que exposições de nonthermal de lombrigas de nematode possam conduzir a expressão de proteínas de choque de calor.

Com respeito a estações de base de telefone móveis, o REINO UNIDO Grupo Especialista Independente concluiu isso:

"O equilíbrio de evidência indica que não há nenhum risco geral à saúde das pessoas que vivem perto de estações de base na base que são esperadas exposições ser frações pequenas de diretrizes." [Seção 1.33]

Porém, o REINO UNIDO Grupo Especialista Independente era bastante crítico do processo de planejamento usado para siting funde estações no REINO UNIDO, e recomendou isso:

"... o siting de estações básicas todo novas deveriam estar sujeito ao processo de planejamento normal." [Seção 1.36]

"... protocolos sejam desenvolvidos, em concerto com indústria e consumidores que podem ser usados para informar o processo de planejamento e que deve ser assiduamente e abertamente seguido antes de permissão fosse determinada para o siting de uma estação básica nova." [Seção 1.37]

"[os protocolos deveriam incluir] uma exigência para envolvimento público, uma contribuição através de authorities/health de saúde sobe a bordo e um claro e sistema aberto de documentação que pode ser inspecionada prontamente pelo público geral." [Seção 1.38]

"... um acaso independente, contínuo, auditoria de todas as estações de base seja levada a cabo para assegurar aquelas diretrizes de exposição não é excedido fora da zona de exclusão marcada... e aquela atenção de particular deveria ser prestada inicialmente à auditoria de estações básicas perto de escolas..." [Seções 1.40 e 1.41].

Especificamente com respeito a escolas, o REINO UNIDO Perito Group Independente também recomendou isso:

"...[para] básico estaciona sited dentro de terrenos escolares, que a viga de maior intensidade não deveria cair em qualquer parte dos terrenos escolares ou edifícios sem acordo da escola e pais. Considerações semelhantes deveriam aplicar para fundar estaciona sited perto de terrenos escolares." [Seção 1.42].

Provavelmente as recomendações mais controversas feitas pelo REINO UNIDO Grupo Especialista Independente recorrido aos telefones eles em lugar de estações básicas, quando eles recomendaram isso:

"... os motoristas sejam dissuadidos de ou usar mão-segurou ou telefones mão-livres enquanto no movimento." [Seção 1.22]

e isso:

"... o uso difundido de telefones móveis por crianças para chamadas dispensáveis deveria ser desencorajado e... que a telefônica indústria móvel deveria se abster de promover o uso de telefones móveis por crianças." [Seção 1.53].

A recomendação que as crianças sejam desencorajadas de usar telefones é em grande parte baseada nos estudos de efeito cognitivos de Preece et al [97] e Koivisto et al [117] e na União européia" Princípio Precautório" [129]. Esta recomendação foi criticada em chãos de múltiplo:


16) há exibição de estudos epidemiológica que exposição de RF de estações básicas está segura?

Sim e não. Enquanto houve nenhum estudo de epidemiologia de câncer e cela telefônicas estações de base, houve estudos de epidemiologia de câncer e outros tipos de exposição a radiowaves. Para uma recente revisão vêem Elwood [94].

Em geral, epidemiologia estuda de radiowaves e câncer não achou correlações significantes entre exposição e câncer. Os estudos incluem: - estuda de câncer em occupationally de pessoas exposto a radiowaves, - estudos de correlação geográficos que comparam taxas de câncer entre áreas com exposições potenciais diferentes para radiowaves, -" "agrupamento de câncer estudos.

Correlação geográfica estuda (veja Q15B, Q15D e Elwood [94]) estimativa a força de radiowaves em áreas geográficas e correlata estas estimativas com taxas de doença nestes áreas. Até mesmo quando o desígnio de estudos de correlação geográficos estiver ótimo, eles são considerados exploratórios e não são usado para determinar causalidade.

Relatórios de agrupamentos de câncer provêem pequena informação prática. Os passos principais avaliando relatórios de" "agrupamentos de câncer são: - defina um lógico (ao invés de arbitrário) limite em espaço e tempo, - determine se um excesso de um tipo específico de câncer aconteceu de fato, - identifique exposições comuns e características. Porém, os anteriores passos geralmente não foram seguidos em estudos de radiowaves, e relatórios de" "agrupamentos de câncer são de essencialmente nenhum valor determinando se exposição para radiowaves é uma causa de câncer (veja Elwood [94] para detalhes destes estudos).

A maioria dos estudos profissionais de exposição de radiowaves tem deficiências em avaliações de exposição porque ocupação ou título de cargo eram usados como uma estimativa de exposição; quer dizer, níveis de exposição de radiowave atuais não são conhecidos.

Há quatro estudos epidemiológicos que geralmente é considerado que têm desígnio aceitável e análise, tamanho de amostra adequado, e tempo de seguimento suficiente: Robinette et al [67], Colina [68], Milham [69, e Morgan al de et [118]]. Estes quatro estudos não mostram associações statistically-significantes entre exposição para radiação de rádio-freqüência e ou câncer em geral ou qualquer tipo específico de câncer.

Os outros estudos de desígnio aceitável (Lilienfeld et al [70], Lagorio et al [71], Muhm [72], Tynes et al [73], Grayson et al [33], Thomas al de et [105], e Dreyer et al [122]) tenha mais limitações em avaliação de exposição, caso ascertainment, ou tempo de seguimento; mas eles também não sugerem que exposição de radiowave aumente o risco de ou câncer em geral ou qualquer tipo específico de câncer.

Szmigielski [79] estudou pessoal militar polonês que pode ter tido exposição de radiowave. A incidência de câncer de todos os tipos, são informados câncer de cérebro, leucemia e linfoma para ser elevado em pessoal exposto. Porque são descritos os métodos de coleta de dados e análise inadequadamente ou inadequado, e porque avaliação de exposição de radiowave é muito deficiente, o relatório não conhece critérios epidemiológicos básicos para aceitabilidade. Elwood [94] também conclui que os métodos usaram no estudo de Szmigielski pode ter criado um preconceito sistemático" que seria esperado que produza um risco relativo aumentado para todos os tipos de câncer."

Em 1996, Rothman et al. [121] publicou um estudo que revisou registros de saúde de mais de 250,000 telefônicos usuários móveis. Eles não acharam nenhuma diferença em mortalidade entre os usuários de telefones portáteis mão-segurados (onde a antena é colocada perto da cabeça) e telefones celulares móveis (onde a antena está montada no veículo). Em um 1999 estudo de seguimento [122], o mesmo grupo examinou causas específicas de morte entre quase 300,000 telefônicos usuários móveis em várias cidades norte-americanas. Os investigadores não achados nenhuma diferença em câncer global taxam, leucemia taxa, ou taxas de câncer de cérebro entre os usuários de telefones portáteis mão-segurados e os usuários de telefones celulares móveis. A única causa específica de morte que correlatou com telefônico uso móvel era mortes de colisões de automóvel.

Para datar, caso-controla só um estudo avaliou câncer em telefônicos usuários móveis. Hardell et al. [100A, 100B] administrou um estudo de tumores cerebrais em telefônicos usuários móveis suecos, como parte de um estudo maior de possíveis causas de câncer de cérebro (outras possíveis causas avaliadas ocupação incluída, terapia de radiação para câncer, exposição para radiação diagnóstica, e exposição para uma variedade larga de substâncias químicas). Exposição foi avaliada através de questionários, e análises estavam baseado em uso de telefones celulares mão-segurados (uso de" dispositivos mão-livres" e usa em um carro com uma antena fixa não era considerado que eram" exposição"). Foi achada nenhuma elevação de incidência de tumor cerebral em usuários de telefones digitais ou analógicos, e nenhuma tendência de exposição-resposta foi observada (veja figura abaixo). Quando análise foi restringida para temporal, occipital e tumores de temporoparietal no mesmo lado do cérebro onde o telefone de cela foi informado para ter sido usado, uma incidência de excesso non-significante foi achada. Este aumento foi visto para uso de telefones analógicos, mas não para o uso de telefones digitais [100A].

Câncer de cérebro em Cela Telefônicos Usuários

Brain Cancer in Cell Phone Users

Risco relativo de câncer de cérebro (relação de vantagens com 95% intervalo de confiança) em usuários de telefones de cela mão-segurados do estudo epidemiológico de Hardell et al [79]. O número de casos na análise global, e as substituto-análises são mostradas em parênteses. Os telefones analógicos ou estão às 450 (NMT 450) ou 900 MHz; os telefones digitais são GSM. O último 4 olhar de filas a qual lado da cabeça (L=Left, R=Right) o telefone era usado em. A linha realçada dentro vermelho provavelmente é o um mais pertinente para avaliação de risco de câncer como olha para uso pesado a longo prazo.

Em um estudo publicado dentro cedo 2000, Morgan e colegas [118] estudou todas as causas principais de mortalidade (com ênfase em câncer de cérebro, linfoma e leucemia) em empregados de Motorola, um fabricante de produtos de comunicação sem fios. Baseado em títulos de cargo, trabalhadores foram classificados em alto, moderado, baixo, e fundo RF exposição grupos. Para trabalhadores com exposição de RFR moderada ou alta nenhuma elevação em taxas de câncer de cérebro, foram achados leucemia e linfoma. And/or de cume atual RFR exposição níveis comuns não são conhecidos.

A falta de associações entre exposição para radiowaves e câncer total, e a falta de associações consistentes entre exposição para radiowaves e qualquer tipo específico de câncer, sugere que radiowaves são improváveis para ter uma influência causal forte em câncer.

Na recente revisão dele da RF epidemiologia literatura, Elwood [94] concluiu isso:

Várias associações positivas que sugestionam um risco aumentado de alguns tipos de câncer nesses que podem ter tido maior exposição a emissões de RF foram informados. Porém, os resultados são incompatíveis: há nenhum tipo de câncer que foi constantemente associado com exposições de RF. O epidemiologic comprovam cai com falta da força e consistência de evidência que é exigida vir a uma conclusão razoável que emissões de RF são uma causa provável de um ou mais tipos de câncer humano. A evidência é fraca com respeito a sua inconsistência, o desígnio dos estudos, a falta de detalhe em exposições atuais, e as limitações dos estudos na habilidade deles/delas para lidar com outros fatores provavelmente pertinentes. Em alguns estudos pode haver preconceitos nos usos de dados.


17) radiação de RF modulada poderia produzir efeitos diferentes que a contínuo-onda (CW) radiação de RF usou em muitos estudos de laboratório?

Possivelmente, mas não há nenhuma evidência reproduzida para tal efetua. Foi sugerido que amplidão-modulou (É) radiação de RF poderia ter efeitos diferentes que contínuo-onda (CW, unmodulated) radiação de RF. Isto poderia ser importante, desde que cela e telefones de PC e estações básicas produzem um sinal modulado, e muito da pesquisa foi terminado com unmodulated fontes de RF.

Este assunto tinha sido revisado em detalhes por Juutilainen e de Seze [90] que concluiu isso:

"A literatura pertinente aos possíveis efeitos biológicos de É radiação de radiofrequency consiste em observações se espalhadas que usam uma variedade larga de modelos experimentais e parâmetros de exposição... Vários estudos informaram resultados consistente com efeitos no sistema nervoso e processos biológicos câncer-relacionados. Porém, os métodos e parâmetros de exposição variam amplamente, e foi informada nenhuma réplica independente dos achados positivos. Os resultados disponível hoje não apóie a existência de bioeffects modulação-específico bem definido de exposição para "radiação de radiofrequency.


18) há grupos (como crianças ou o ancião) isso é mais sensível aos efeitos de radiowaves?

Possivelmente. Alguns grupos na população geral poderiam ser mais sensíveis aos efeitos de radiowaves que outros, mas nenhum tal grupo foi achado de fato. A possível existência de tais indivíduos sensíveis é um das razões principais que uma margem de segurança de 5-dobra adicional é acrescentada às diretrizes de exposição públicas (veja Q9).

Veja a discussão de se as crianças deveriam usar telefones móveis mão-segurados em Q15H


19) Will que telefone celular ou PC fundam antenas de estação afetam marcapassos de coração, dores de cabeça de causa, etc?

Embora as saúdes de princípio do público interessam sobre telefone de cela e PC funde antenas de estação parece ser a possibilidade de uma conexão de câncer (veja Q21 e Q23B-Q23D), outros assuntos saúde-relacionados surgem periodicamente. Particularmente terra comum é perguntas sobre interferência com marcapassos de coração (coberto em Q19A). Esta seção também cobrirá assuntos menos comuns. A possibilidade de uma conexão com falhas e defeitos de nascimento estão cobertos em Q22.


19A) Will que telefone celular ou PC fundam antenas de estação afetam dispositivos médicos como marcapassos cardíacos?

Não. Não há nenhuma evidência que telefone celular ou PC fundam antenas de estação que interferirá com marcapassos cardíacos ou outros dispositivos médicos implantados contanto que sejam mantidos níveis de exposição dentro do padrão de ANSI para exposição descontrolada (veja Q8 e Q12).

É possível que os PC telefonam que eles poderiam interferir com marcapassos se a antena é colocada diretamente em cima do marcapasso. Este problema é informado para acontecer com só alguns tipos de telefones de PC e alguns tipos de marcapassos [46, 137].


19B) Faça telefones de cela ou cela telefônicas estações de base causam dores de cabeça?

Há nenhuma razão para pensar assim. Há relatórios anedóticos que cela telefona dores de cabeça de causa (veja Frey [48], e a discussão de al de et Moderado e Sandstrom et al [25] em Q23). Houve nenhum estudo epidemiológico sério do assunto, e não há nenhuma real base biofísica ou fisiológica por esperar uma conexão.


19C) Faz radiação de rádio-freqüência de telefones de cela ou cela telefônicas estações de base causam mudanças fisiológicas ou de comportamento?

Há relatórios de unreplicated de tal efetua. Há alguns estudos que sugerem que radiação de RF de telefones móveis mão-segurados poderia causar mudanças fisiológicas ou de comportamento sutis. Porém, nenhum dos estudos provê evidência significativa que telefônicas estações de base móveis poderiam posar uma periculosidade:

- Braune et al [82] informou aquele humano oferece usando um GSM cela telefone durante 35 atas mostrou um 5-10 mm que Hg sobem em pressão sanguínea. O estudo é pequeno e não foi encoberto, e uma elevação em pressão sanguínea desta magnitude não tem nenhuma conseqüência de saúde conhecida.

- Eulitz et al [84] informou aquela cela telefona pode alterar a atividade elétrica do cérebro. Porém, o efeito pode ser um artefato causado por interferência de RF com as dianteiras de EEG.

- Freude et al [111] voluntários humanos expostos para RF de um 916 Mhz 350 mW GSM telefone digital. Foram vistos trocados em EEG que" não indicou influência em desempenho humano, bem-estar e saúde"

- Mann e Röschke [113] informou aquela exposição a um telefônico sinal móvel poderia causar mudanças leves em padrões de sono, mas um estudo subseqüente pelo mesmo grupo [115] não ache nenhuma evidência para o efeito. Em um mais recente estudo, Borbély [110] informou aquela exposição a um telefônico sinal móvel a 1 W/kg poderia causar mudanças leves em padrões de sono.

- De Seze et al [113] informou aquela exposição de voluntários humanos a cela telefônico RF não teve nenhum efeito em secreção de noite-tempo de melatonina. Foram sugeridos efeitos em melatonina como um mecanismo pelo qual campos de fio de alta tensão poderiam afetar saúde humana (veja nota 4).

- Wang e Lai [109] informou que ratos expuseram a 2450 MHz pulsou radiação de rádio-freqüência mostrou" defeitos em memória a longo prazo." Os animais RF-expostos eram mais lento que animais normais aprendam um labirinto. Animais receberam inteiro-corpo exposição de RF para 1 hr/day. O SAR comum era 1.2 W/kg com cumes de 3-4 W/kg. O sinal é bastante diferente disso associado com uma telefônica estação de base móvel e o cume SAR pode ter sido alto bastante causar tensão térmica. A intensidade de exposição (SAR) era 15 vezes mais alto que o padrão de FCC para exposição de inteiro-corpo do público geral. Em 2000 Sienkiewicz et al [120] executou uma experiência semelhante em ratos (mas usando um sinal e uma poder-densidade que simula uma cela digital européia telefônico sinal de estação de base) e não achou nenhum efeito em desempenho de labirinto.

Em 1999, Preece et al [97] informou aquela exposição de voluntários humanos a cela que telefônica radiação de RF poderia diminuir reação cronometra (veja Figura abaixo). A cobertura de imprensa era extensa, mas o estudo atual não tem nenhuma implicação óbvia para saúde humana:

Cela Telefônico Uso e Tempo de Reação

Cell Phone Use and Reaction Time

Dados de tempo de reação de Preece et al [97]. São mostrados tempos de reação por sete testes de tempo de reação separados. O" sinal analógico" era uma 915 MHz onda de seno. O" sinal digital" era uma 915 MHz onda de seno modulada com uma 217 Hz quadrado onda a um 12.5% ciclo de dever. De acordo com os autores, o grupo de teste analógico durante o" tempo de reação escolhido" teste (marcado em vermelho) era considerado que era significativamente abaixe que o valor de exposição imitado, mas era considerado que nenhuma outra diferença era statistically significante.

Em 2000, Koivisto et al [117, 132] informou estudos de voluntários humanos que foram expostos a 902 MHz RF de um 250 mW digital (GSM) telefone e determinado uma bateria de testes de tempo de reação. Para alguns testes, reduziu exposição (melhorou) o tempo que testes exigidos, outros mostraram para melhorias de tempo menos significantes. Alguns testes não mostraram nenhum efeito significante. Para o teste em qual Preece et al [97] ache um efeito para o sinal analógico, Koivisto et al [117] não ache nenhum efeito para um sinal digital. Os efeitos de exibição de testes são declarados para ser testes de função cognitiva. O Koivisto et al [132] conclua isso:

"Com respeito a conseqüências de comportamento dos campos de RF em humanos, ponto de evidência todo disponível para a mesma direção: campos de RF facilitam em lugar de romper desempenho. Os mecanismos fisiológicos que estão por baixo de tais influências são pobremente compreendidos, e é muito cedo concluir o que a significação dos efeitos observados está em saúde humana."

Em 2000 Tsurita et al [133] informou aquela radiação de RF não estava usando nenhum efeito o sangue-bain barreira em ratos. Estes ratos foram expostos a um 1339 MHz digital (TDMA) sinal durante uma hora por dia durante 2-4 semanas. O corpo inteiro comum SAR era 0.25 W/kg e o cérebro SAR era 2 W/kg, e foi observada nenhuma mudança em temperatura de corpo. Nenhum efeito foi observado em peso de corpo, morfologia de cérebro ou permeabilidade de barreira de sangue-cérebro. O Tsurita et al [133] papel inclui uma discussão detalhada de estudos prévios de efeitos de RF na barreira de sangue-cérebro.

Para uma recente revisão dos efeitos de comportamento de radiação de RF vêem D'Andrea [96].


20) radiowaves produzem efeitos biológicos?

Sim. Se exposição for suficientemente intensa, radiowaves podem causar efeitos biológicos. Possíveis danos incluem cataratas, queimaduras de pele, queimaduras fundas, esgotamento de calor e insolação. A maioria, se não tudo, dos efeitos biológicos conhecidos de exposição alto-dar poder a fontes de radiofrequency estão devido a aquecer [20]. Os efeitos deste aquecimento variam de mudanças de comportamento a dano de olho (cataratas) [veja refs em 1, 5, 6, 7 14, 53, 83, 90, 99 e 99]. Exclua possivelmente dentro de alguns pés das antenas eles [128], o poder produzido por telefone celular e PC funda antenas de estação é muito baixo para para causar aquecimento.

Lá se espalhou relatórios de efeitos [21] isso não parece estar devido a aquecer, o assim chamou efeitos non-térmicos [20]. Nenhum destes efeitos foi reproduzido independentemente, e nenhum tem qualquer conexão óbvia a riscos sanitários humanos.

A falta de efeitos biológicos de exposições para radiação de rádio-freqüência que não produz mudanças de temperatura biologicamente significantes não é surpreendente, como lá é nenhum mecanismo biofísico conhecido que sugeriria que tais efeitos eram prováveis [124].


21) há qualquer reproduziu evidência que radiowaves podem causar câncer?

Não. Até mesmo a níveis altos de exposição, há nenhuma evidência significativa que radiowaves ou podem causar ou podem contribuir a câncer (para uma opinião para o contrário veja os relatórios discutidos em Q15B e Q15C). Embora pesquisa nesta área foi extensa, há nenhum laboratório reproduzido ou evidência epidemiológica que radiowaves ao poder nivela associadas com exposição pública a radiowaves de telefone celular e PC funde antenas de estação são associadas com câncer [veja refs em 1, 5, 6, 7, 14, 74, 83, 95, 99 E 128 para detalhes].

Há dois recente laboratório informa que exposição de RF poderia produzir câncer, ou danos câncer-relacionados em animais. Estes estudos são discutidos em Q23B e Q23D. Ambos os estudos usam RF nivela longe sobre esses achados em área publicamente-acessível próximas antenas de estação de base, e nem não estuda foi reproduzido.

Os estudos epidemiológicos de espetáculo de RF nenhuma associação consistente com câncer total, ou com qualquer tipo específico de câncer (veja Q16).


22) há qualquer evidência que radiowaves podem causar falhas ou defeitos de nascimento?

Indiretamente, sim. Exposição para níveis de radiowaves suficiente causar corpo aquecendo inteiro podem causar falhas ou defeitos de nascimento. O poder produzido por telefone celular e PC funda antenas de estação é distante muito baixo para causar tal aquecimento. Há nenhum laboratório ou evidência epidemiológica a tudo aquilo radiowaves ao poder nivela associado com exposição pública a radiowaves de telefone celular e PC funde antenas de estação são associadas com falhas ou nascimento foge [veja refs em 1, 5, 6, 7 e 14 para detalhes].

Também veja a discussão de Bastide et al [26] em Q23A.


23) o que faz os mais recentes estudos científicos de radiowaves e espetáculo de saúde de humano?

Há um fluxo constante de informação nova. Esta seção tentará resumir esta informação nova. Estudos que chamam a atenção adquirirão freqüentemente as próprias seções deles/delas, como os estudos epidemiológicos discutidos em Q15B, Q15C, Q15D e Q15E, que os estudos de rato discutiram em Q23B e Q23C, e o ADN encalha estudos de fratura discutidos em Q23D.


23A) O que dizem recentes relatórios de reunião científica e diários?


23B) isso que sobre o relatório que exposição de ratos para cela telefônico câncer de causas de radiação?

Um 1997 estudo [37] relatórios que ratos linfoma-propensos expuseram durante 18 meses para forte, mas intermitente, campos de rádio-freqüência do tipo usados por telefones celulares digitais têm uma incidência aumentada de linfomas. Foi achado nenhum aumento na incidência de outros tipos de tumores. As intensidades de campo usadas estão sobre as diretrizes para exposição pública recomendada no padrão de ANSI/IEEE (Q8), e está longe sobre esses que existem em áreas publicamente-acessíveis próximo telefone celular e PC funde antenas de estação [16].

Enquanto este estudo for muito interessante, seu impacto em regulamento de exposição de RF do público geral está bastante obscuro:

  1. Não pode ser determinado deste estudo se podem ser induzidos linfomas em normal (ao invés de câncer-propenso) animais por exposição para RF.
  2. Não pode ser determinado deste estudo se outros tipos de tumores podem ser induzidos através de exposição a RF.
  3. Não pode ser determinado deste estudo que que nível de exposição é requerido para indução de linfoma nestes ratos.

 

Claramente o estudo precisará ser repetido com ratos normais e linfoma-propensos. Se o efeito pode ser reproduzido, será crítico para determinar a relação de dose-resposta para indução de linfoma, e determinar se o efeito acontece para outro and/or de tumores em outras espécies.

Veja as notas Técnicas para a referência [37], citações do abstrato dos autores [38], citações da discussão dos autores [39], e para detalhes técnicos adicionais [40].

Foram perguntadas várias perguntas repetidamente por este estudo:

Não. Antes de este estudo pudesse ser relacionado a avaliação de risco de humano: - deve ser reproduzido, - um estudo semelhante deve ser feito com ratos normais, - a relação de exposição-resposta para o efeito deve ser conhecida, - a indução de outros tipos de tumores deve ser estudada.

 

Quando você quer saber se algo poderia causar câncer, você normalmente começa com uma tensão sensível de animais e uma dose alta do agente. Isto maximiza sua chance de achar algo. Se você não achar nada dado estas circunstâncias, então você pode ser bastante confiante que o agente não causa este câncer. Se você achar câncer de excesso, você precisa determinar então se isto também acontecerá em and/or de animais normal a doses mais razoáveis. Se você faz animais normais primeiro a baixas doses, e você não acha nenhum câncer de excesso, você ainda precisaria testar animais câncer-propensos a doses altas.

Um problema adicional com usar ratos normais e baixas doses de RF para estudar indução de linfoma, é aquele linfoma é raro em ratos normais (1-3% incidência vitalícia). Descobrir um 50% aumento nesta taxa normal requereriam mais de 2000 ratos.

 

Há 10 outros estudos de exposição a longo prazo de roedores pelo menos a radiação de radiofrequency. Nenhum destes estudos usou ratos linfoma-propensos e nenhum informou linfoma de excesso. Veja Q23C para detalhes.

Uma diferença em incidência de tumor entre animais normais e animais que foram geneticamente-alterados para lhes fazer câncer propenso não é inesperada, como outros estudos (por exemplo, Johnson [112]) mostrou que os animais geneticamente-alterados mostram freqüentemente respostas diferentes que animais normais em testes de blindagem de carcinógeno.

 

Não é fácil expor animais para uniformizar níveis de RF. Se animais forem desenfreados em gaiolas, o RF dosam (o SAR [8]) varia com a posição do animal, com sua orientação para a antena, com a presença de outros animais, e com o tamanho animal. Adquirir RF bem definido dosa, os animais devem ser limitados em proprietários pequenos, e o diariamente manipulação e prisão que isto requer podem produzir biológico efetua todo por si só. Até mesmo debaixo destas condições, o SAR pode mudar como os animais aumente em tamanho. Basicamente, o experimenter tem uma escolha: trate animais livre-correntes com perturbação mínima e aceite dosimetry incerto, ou adquira dosimetry bom e artefatos de risco devido a controlar e prisão. Qualquer escolha está aberto a crítica.

 


23C) Tem qualquer um outro roedores expostos para cela telefônica radiação ver se eles adquirissem câncer?

Há 10 outros estudos de exposição a longo prazo pelo menos a roedores para radiação de rádio-freqüência.

- Em 1971, Spalding el al [64] publicou um estudo de ratos que tinham sido expostos a 800-MHz RF para 2 hr/day, 5 days/week, durante 35 semanas a um SAR de 13 W/kg. O período de vida comum do grupo RF-exposto (664 dias) era ligeiramente, mas não significativamente, mais longo que isso do grupo imitado (645 dias).

- Em 1982 Szmigielski et al [65] publicou um estudo de ratos que foram expostos a 2450-MHz RF para 2 hr/day, 6 days/wk, para até 6 meses. Exposições estavam a 2-3 e 6-8 W/kg. Controles incluíram animais fraude-irradiados e animais sujeito a" "tensão de prisão. Exposição de RF e tensão de prisão significativamente acelerado o aparecimento de tumores de pele quimicamente-induzidos e tumores de peito quimicamente-induzidos. O dosimetry neste estudo é questionável, e parece provável que os ratos expuseram à dose mais alta foi sujeitado a aquecimento physiologically-significante.

- Em 1988 Saunders et al [98] publicou um estudo de ratos masculinos que foram expostos a 2450-MHz radiação de RF (densidade de poder de 10 mW / cm-sq e SAR de 4 W/kg) para 6 h por dia para um total de 120 h em cima de um período de 8-semana. Ao término do tratamento os ratos foram acasalados com fêmeas de unexposed. Não havia nenhuma redução significante em taxa de gravidez, de forma que lá nenhum aumento tinha estado em mutações letais dominantes. Exame de spermatogonia não mostrou nenhum aumento em aberrações de cromossomo. Os autores concluem que" não há nenhuma evidência nesta experiência mostrar aquela exposição crônica de ratos masculinos a 2450-MHz que radiação de microonda induz uma resposta mutagênica."

- Em 1994 Liddle et al [66] publicou um estudo que examinou os efeitos de vida-tempo o 2450-MHz exposição de RF em ratos. Ratos estavam expostos para 1 hr/day, 5 days/week ao longo da vida deles/delas a ou 2 ou 6.8 W/kg. Período de vida foi encurtado significativamente em ratos expostos a 6.8 W/kg (mediano de 572 vs de dias 706 dias no grupo fraude-exposto). Porém, a 2 W/kg, viveram os animais RF-expostos ligeiramente, mas não significativamente mais longo (mediano de 738 dias) que o grupo fraude-exposto. Os autores sugeriram que o aquecimento de exposição às 6.8 W/kg era estressante bastante diminuir período de vida.

- Em 1992, Chou et al [43] publicou um estudo de 100 ratos normais para os que foram expostos pulsou 2450 MHz RF a 0.15-0.40 W/kg [8] durante 21.5 hrs/day e 25 meses. Nenhum efeito foi observado em vida-palmo ou causa de morte. Um aumento em câncer total foi visto em grupo exposto, sem efeito em sobrevivência. A malignidade taxa nos controles era extraordinariamente baixo para esta tensão, e nenhum aumento em tumores benignos foi observado. Foram vistos dois linfomas primários nos animais expostos, e dois nos controles. Nenhum tumor de cérebro benigno ou maligno ou foi visto dentro expôs ou controla ratos. Os autores concluíram:

Exposição de microonda... não mostrado nenhum efeito biologicamente significante em saúde geral... Os resultados de um excesso de malignidades primárias em animais expostos são provocantes. Porém, quando este único achado é considerado levando em conta outros parâmetros, é conjetural se a diferença estatística reflete uma verdadeira influência biológica. Os resultados globais indicam que não há nenhum efeito definitivo, biologicamente significante...

- Em 1994, Wu et al [56] publicou um relatório em 26 ratos que foram expostos a uma vantagem carcinógena química 2450 MHz RF a 10 mW/cm-sq (10-12 W/kg). Exposição continuou para 3 hrs/day, 6 days/week durante 5 meses. O carcinógeno químico é um que câncer de cólon de causas. Nenhuma diferença em taxas de câncer de cólon foi vista entre animais tratados com o carcinógeno só e os animais trataram com o mais RF carcinógeno.

- Em 1997, el de Toler [45] publicou um relatório em 200 ratos mamário-tumor-propensos expostos pulsou 435 MHz RF a 1.0 mW/cm-sq (0.32 W/kg). Exposição continuou para 22 hrs/day, 7 days/week durante 21 meses. Os autores não informaram nenhuma diferença em sobrevivência ou incidência de tumor mamária. Os autores informaram que não havia nenhuma diferença nas taxas de qualquer tipo de tumores entre o exposto e o grupo de controle. De nota particular, não havia nenhuma diferença no linfoma, leucemia ou taxa de tumor cerebral entre o exposto e o grupo de controle.

- Em 1998, Frie et al [44] publicou um relatório em 100 mamário-tumor ratos propensos que foram expostos a 2450 MHz RF a um SAR de 0.3 W/kg. Exposição era para 20 hrs/day, 7 days/week durante 18 meses. O estudo não achou nenhuma diferença em incidência de tumor ou sobrevivência entre o exposto e o grupo de controle. Depois em 1998, Frie et al [47] publicou um segundo estudo em usando o mesmo modelo de rato e o mesmo regime de exposição, mas um SAR mais alto de 1.0 W/kg. Novamente, o estudo não achou nenhuma diferença em incidência de tumor ou sobrevivência entre o exposto e o grupo de controle. Não havia nenhuma diferença em linfoma, leucemia ou incidência de tumor cerebral entre o exposto e o controle se agrupa em qualquer estudo.

- Em 1998 Imaida et al [63a] publicou um relatório em 48 ratos que eram determinado um carcinógeno químico que causa câncer mais ao vivo, e foi exposto então a 929 MHz RF um um SAR de 0.6-0.9 W/kg. Exposição era para 90 min/day, 5 days/week durante 6 semanas. Nenhuma diferença em taxas de câncer mais ao vivo foi vista entre ratos RF-expostos e ratos dados só o carcinógeno químico.

Por um segundo 1998 papel, Imaida et al [63b] informou uma falta semelhante de promoção de câncer mais ao vivo em ratos expostos a 1500 MHz RF a um SAR de 2.0 W/kg. Novamente, exposição era para 90 min/day, 5 days/week durante 6 semanas.

- Em 1998 Adey et al [24] informou aquela exposição para pulsar-modulou 837 MHz RF não induziu ou promoveu tumores cerebrais em ratos. Exposição de RF começou com exposição de longe-campo de inteiro-corpo contínua de ratos grávidas e continuou por desmamar. A 7 semanas de idade, foi começada exposição de próximo-campo localizada da cabeça, e esta exposição continuou durante 22 meses (2 hrs/day, 7.5 min em - 7.5 min fora, 4 days/week). Alguns ratos também foram tratados com um carcinógeno de tumor cerebral químico (ethylnitrosourea, ENU). Cérebro que SARs percorreu de 0.7 a 1.6 W/kg, e inteiro-corpo SAR variou de 0.2 a 0.7 W/kg; a gama de SARs estava devido a mudanças em peso e variabilidade em posicionamento animal. O número de tumores cerebrais era menos nos grupos RF-expostos que nos grupos fraude-expostos, mas a diferença não era nenhum statistically significante. Esta diminuição non-significante foi vista em ambos os ratos tratados com RF só, e em ratos tratados com RF mais o carcinógeno de tumor cerebral químico.

Em 2000, Adey et al [50] informou aquela exposição a onda contínua 837 MHz RF não induziu ou promoveu tumores cerebrais em ratos. Diferente de a diferença em modulação, o 2000 estudo usou o mesmo desígnio e protocolo de exposição como o 1999 estudo.

- Em uma reunião em 1999, Zook et al [104] informou a ausência de um efeito em incidência de tumor cerebral em ratos expostos a 860-MHz radiação de rádio-freqüência a 1.0 W/kg. Zook et al também informaram que o mesmo protocolo de RF não promoveu câncer de cérebro quimicamente induzido.

- Em 1999, Chagnaud et al [106] informou aquela exposição de ratos a um sinal de GSM não promova câncer de peito quimicamente-induzido. Ratos estavam expostos durante 2 semanas a 2 horas por dias a vários tempos depois de exposição para um carcinógeno químico, para um 900-MHz GSM sinalize a 0.075 ou 0.27 W/kg. Foi observado nenhum efeito em incidência de tumor, crescimento de tumor ou sobrevivência de animal.

- Também em 1999, Higashikubo et al [107] informou aquela exposição de ratos que tiveram tumores cerebrais a radiação de rádio-freqüência não teve nenhum efeito no crescimento destes tumores cerebrais. Foram expostos ratos a ou 835 MHz onda contínua RFR ou 848 MHz pulsaram RFR a SARs de 0.75 W/kg. Exposição era para 4 hrs/day, 5 dias por semana, começando 28 dias antes de implantação de tumor e continuando durante 150 dias depois de implantação de tumor.

Assim se apareceria aquela indução de linfoma, e tumores em geral, por exposição de vida-tempo de roedores para RF não é uns fenômenos gerais.


23D) isso que sobre o relatório que exposição de ratos para cela telefônicas causas de radiação danificam ao ADN nas celas de cérebro deles/delas?

São presumidos agentes que podem danificar o ADN de celas para ter potencial carcinogênico [4]. São chamados agentes que podem danificar o ADN genotoxins, ou está chamado ter atividade de genotoxic. Em geral, estuda de celas expostas a RF não achou evidência para genotoxicity a menos que o SAR fosse alto bastante causar térmico (calor) dano [5, 6, 7, 14].

Em 1995 e 1996, Lai e Singh [31] informou aquele RF causou dano de ADN (dano de genotoxic) em ratos. Nestes experiências, foram expostos ratos a 2450 MHz RF a 0.6 e 1.2 W/kg. Depois de exposição, foram matados os animais, e as celas de cérebro deles/delas foram analisadas para dano de ADN. Os autores informados um aumento em posto de ADN quebram 4 horas depois de exposição.

O trabalho de Lai e Singh [31] fracassou tentativas independentes a réplica. Em 1997, Malyapa et al [49a, 49b] informou que eles não pudessem descobrir o efeito

visto por Lai e Singh, mas havia algumas diferenças entre os estudos. Em 1998, Malyapa et al [49c] informou que eles não pudessem descobrir o efeito em uma réplica exata do Lai e Singh [31] estudo.

Outros estudos recentemente publicados no potencial de genotoxic de RF não informaram nenhuma evidência para genotoxicity (dano para ADN):

Em contraste, outros estudos recentemente publicados achados alguma evidência para exposição de RF poderiam ser genotoxic:

Foram publicadas duas revisões do potencial de genotoxic de RF em 1998. Verschaeve e Maes [80] concluiu isso:

"De acordo com uma grande maioria de documentos, campos de RF, e freqüências de telefone móveis em particular, não é genotoxic: eles não induzem efeitos genéticos em vitro [em cultura de cela] e em vivo [em animais], pelo menos debaixo de condições non-térmicas [condições que não causam aquecimento], e não parece ser teratogênico [nascimento de causa foge] ou induzir câncer."

Brusick et al [81] concluiu isso:

"Os dados de mais de 100 estudos sugerem que radiação de RF não seja diretamente mutagênica e aqueles efeitos adversos de exposição de organismos para intensidades de poder altas de radiação de RF são predominantemente o resultado de hipertermia [aquecendo]; porém, pode haver alguns efeitos indiretos sutis na transcrição de and/or de réplica de genes debaixo de condições de exposição relativamente restringidas."


24) onde eu posso adquirir mais informações?

A documentação dos vários padrões de radiofrequency [5, 6, 7 e 14] contenha referências extensas. Revisões razoavelmente em dia desta área incluem: a publicação de ICNIRP em telefones mão-segurados [1], a revisão por Stuchly [83], e a revisão por Repacholi [74].


25) quem escreveu estas Perguntas e Respostas?

Esta folha de FAQ foi escrita por Dr. John Moulder, Professor de Cancerologia de Radiação, Radiologia e Pharmacology/Toxicology ao Exame médico Faculdade de Wisconsin. Dr. Moulder ensinou, dissertou e escreveu nos efeitos biológicos de non-ionizar radiação e campos eletromagnéticos durante mais de duas décadas. A versão original deste FAQ foi escrita em 1995 debaixo de um contrato com a Cidade de Brookfield, Wisconsin.

São derivadas partes deste FAQ de quatro publicações semelhante-revisadas:

Dr. Moulder mantém "FAQ semelhante" documenta em" Powerlines e Câncer" e" EM Fields Estático e Câncer."


Notas técnicas:

1. Comissão internacional em Non-ionizar Proteção de Radiação: assuntos de Saúde relacionaram ao uso de radiotelephones mão-segurado e transmissores de base. Saúde Físicas 70:587-593, 1996.

2. PC (Sistemas de Comunicação Pessoais) são mão-segurados telefones radiotelephones que usa um digital, em lugar de o sistema de transmissão analógico usado pela maioria dos telefones celulares. No EUA, telefones celulares operam a 860-900 MHz, enquanto telefones de PC operam a 1800-2200 MHz. Em aparecimento, celular e os PC telefonam e as antenas de estação básicas deles/delas são semelhantes. No EUA," telefones sem fio" operam a freqüências que variam de 45 a 1800 MHz, e" os cidadãos atam (CB)" transceptores operam a aproximadamente 27 MHz. Alguns telefones sem fio operam a níveis de poder que igualam ou excedem alguns telefones celulares.

Nota internacional: Ao redor do mundo uma variedade de outras freqüências é usada para transceptores mão-segurados analógicos e digitais e rádios móveis, e são dados outros nomes aos sistemas (veja Mesa 1 em Stuchly [83] para detalhes). As freqüências mais comuns para" sistemas celulares" são 800-900 MHz (analógico e digital) e 1800-2000 MHz (digital); mas mão-segurou transceptores existem aquelas freqüências de uso de tão baixo quanto 45 MHz para tão alto quanto 2500 MHz. Poder raramente produzido de unidades mão-seguradas excede 2 W, mas poder produziu de unidades veículo-montadas como esses usados por pessoal de execução de lei pode ser tão alto quanto 100 W. Canadá: telefones Analógicos e digitais operam a 824-849 MHz. Um 2000 MHz sistema digital (semelhante ou idêntico a PC conserte no EUA) está vindo logo. Austrália: Os telefones de AMPÈRES analógicos operam a 825-890 MHz e os telefones de GSM digitais opere a 890-960 MHz. Europa: sistemas Analógicos a aproximadamente 900 MHz; digital (GSM) sistemas a sobre ambos 900 e 1800 MHz.

3. As freqüências específicas usadas por celular e os PC telefonam pode ser chamado qualquer microondas (MW), radiofrequencies (RF), ou radiowaves. Para a discussão de efeitos de saúde a distinção entre radiowaves e microondas são semânticas, e o termo radiowaves (ou radiofrequency ou RF) é usado neste documento para todas as freqüências entre 3 kHz e 300 GHz.

4. Para uma discussão detalhada veja: - JE Moulder e KR Foster: efeitos Biológicos de campos de poder-freqüência como eles relacionam a carcinogênese. Proc Soc Exper Biol Med 209:309-324, 1995; - JE Moulder: campos de Poder-freqüência e câncer. Crit Rev Biomed Engineering 26:1-116, 1998.

5. Padrões de IEEE que Coordenam Comitê 28 em Non-ionizar Radiação Se arriscam: Padrão para segurança nivela com respeito a exposição humana a freqüência de rádio campos eletromagnéticos, 3 kHz para 300 GHz (ANSI/IEEE C95.1-1991), O Instituto de Elétrico e Eletrônica Cria, Nova Iorque, 1992.

6. Comissão internacional em Non-ionizar Proteção de Radiação: Diretrizes por limitar exposição a campos elétricos, magnéticos e eletromagnéticos tempo-variados. Saúde Físicas 74:494-522, 1998.

7. Conselho nacional em Proteção de Radiação e Medidas: efeitos Biológicos e critérios de exposição para radiofrequency campos eletromagnéticos. NCRP Report Nenhum. 86, 1986.

8. Os efeitos biológicos de radiowaves dependem da taxa à qual poder é absorvido. Esta taxa de absorção de energia é chamada a Taxa de Absorção Específica (SAR) e está medido em watts/kilogram (W/kg). SARs são difíceis de medir em uma base rotineira, assim a que está normalmente medido é a densidade de poder de onda plana. Corpo inteiro comum SARs pode ser calculado então da exposição de densidade de poder (veja Stuchly [83] para detalhes). Nota que alguns documentos expressam densidade de poder como µW/cm-sq onde 1000 µW/cm-sq iguala 1 mW/cm-sq.

9. Os padrões de densidade de poder são mais rígidos para freqüências celulares que para freqüências de PC porque os humanos absorvem radiowaves mais a 860 MHz que a 1800 MHz, e é a quantia de poder absorvida que realmente assuntos [8].

10. Especificamente, o padrão de ICNIRP é 0.40 mW/cm-sq para telefônicas freqüências celulares e 0.90 mW/cm-sq para PC telefônicas freqüências, enquanto a diretriz de NCRP é 0.57 mW/cm-sq para telefônicas freqüências celulares e 1.00 mW/cm-sq para PC telefônicas freqüências.

11. Diretrizes por Avaliar os Efeitos Ambientais de Radiação de Radiofrequency (FCC 96-326), Comissão de Comunicações Federal, Washington, D.C., 1996. Disponível da FCC teia página.

12. Nota internacional--Padrões para exposição pública para radiação de RF de telefone base estação antenas móveis em países diferente de o EUA Esta lista não é inclusiva ou necessariamente em dia; as informações deveriam ser conferidas com as autoridades regulador apropriadas em cada país.
Padrão australiano: A situação australiana é bastante complexa. Até as 1998, exposição de RF na Austrália foi regulada por" AS2772.1-1990 radiação de Radiofrequency, Separe 1: exposição de Máximo nível-100 kHz para 300 GHz inclusive Emenda Não. 1/1994" da Associação de Padrões de Austrália. Naquele padrão o limite de exposição de público geral permissível para as freqüências usadas por serviços de telefone móveis era 0.2 mW/cm-sq; este era um fator de 2 - 6 abaixam que o FCC, ANSI/IEEE, ICNIRP e padrões de NCRP.
Este padrão foi revisado em 1998 em uma base interina, e a exposição de público geral permissível limita no padrão interino" novo" [AS/NZS2772.1(Int):1998] se apareceu para semelhante para o padrão de ICNIRP [6] exclua a freqüências mais altas onde foram retidos os mais baixos limites do 1990 Padrão. Este padrão interino era efetivo até 5-março-99, quando teria sido" confirmado, teria retirado ou teria revisado." O comitê responsável para o padrão não pôde alcançar o nível exigido de consensos para confirmar ou revisar o padrão interino e estava subseqüentemente retirado.
Quando o AS/NZS2772.1(Int):1998 transcorreu, a Autoridade de Comunicações australiana (ACA) pisou dentro e adotou seu próprio radiocommunications padrão de RF. O padrão de ACA parece ser largamente idêntico a AS/NZS2772.1(Int):1998, a não ser que só aplica a RF usou para comunicações.
Padrão de Nova Zelândia: Em 1998 o australiano e foram fundidos padrões de Nova Zelândia como um" padrão interino" [AS/NZS2772.1(Int):1998]. A mesma confusão que aplicou ao padrão australiano aconteceu em Nova Zelândia. Porém, a Austrália distinta, Nova Zelândia adotou um padrão final," NZS 2772.1:1999 campos de Radiofrequency - Parte 1: exposição de Máximo nivela - 3 kHz para 300 GHz" que alinham completamente com as Diretrizes de ICNIRP [6] e não contém os níveis de exposição reduzidos a freqüências mais altas que fizeram parte dos padrões mais cedo.
Padrão canadense: [Saúde o Canadá: Limites de exposição para campos de radiofrequency a freqüências de 10 kHz - 300 Segurança de GHz Código 6, Canadá Comunicação Grupo, Ottawa, Canadá, (1993)] Às freqüências de relevância fundar estações o padrão canadense parece ser idêntico ao padrão de FCC.
Padrão de REINO UNIDO: O padrão de REINO UNIDO [14] é 0.57 mW/cm-sq a 900 MHz e 1.00 mW/cm-sq a 1800 MHz.
Padrão grego [Mede para proteção do público de operação de antenas terra-instaladas. Atenas, República helena, 2000]: O padrão é essencialmente idêntico a ICNIRP [6] padrão.
Padrão suíço [Regulamento sobre Proteção contra Radiação de Nonionizing. Conselho Federal suíço, 1999]: Para transmissores de comunicação sem fios sobre 6 W (ERP) o padrão é 4.0 V/m (0.0042 mW/cm-sq) a 900 Mz e 6.0 V/m (0.0095 mW/cm-sq) a 1800 Mz. Para rádio difundido (e TELEVISÃO?) o padrão é 3.0-8.5 V/m (0.0024-0.019 mW/cm-sq).
Padrão italiano: Ministero Dell'Ambientem, Decreto 10 settembre 1998, n. 381, Regolamento recante norme por la determinazione dei tetti di radiofrequenza compatibili la contra saudam umana. A telefônicas freqüências móveis o padrão parece ser 0.10 mW/cm-sq. Para situações onde é esperado que exposição exceda 4 hours/day, se aparece o limite é reduzido mais adiante a 0.010 mW/cm-sq. Administrações regionais locais parecem ter a autoridade para adicional reduza estes limites, e várias regiões parecem ter limites 4 vezes abaixam (0.0025 mW/cm-sq).

13. Onde há antenas transmitindo múltiplas a freqüências diferentes, o método por assegurar aderência ao ANSI [5] ou FCC [11] padrões são complexos. Porém, também há um modo fácil para conferir aderência debaixo destas condições: some as densidades de poder de todas as antenas e aplique o padrão de densidade de poder mais rígido. Qualquer coisa que passa este cheque fácil passará no teste mais estrito e complexo. Algo que fracassa este cheque fácil deve ser analisado pelo método mais estrito e complexo descrito no padrão de ANSI.

14. Tábua de Proteção de Radiação nacional: Restrições em exposição humana para estática e tempo que variam campos eletromagnéticos e radiação. Doc NRPB 4:1-69, 1993.

15. O 1992 padrão de ANSI [5], por exemplo, está baseado na revisão de 321 documentos da literatura semelhante-revisada; e as diretrizes de NCRP [7] está baseado em uma revisão de quase 1000 relatórios.

16. Especificamente, nenhum efeito potencialmente-perigoso foi reproducibly mostrados debaixo de um SAR de 4 W/kg. - A celular e PC telefônicas freqüências exigiria para uma densidade de poder de 20-100 mW/cm-sq alcançar um SAR tão alto quanto 4 W/kg. - Debaixo de pior caso suposições (múltiplo baixo-ganhe, alto-ERP antenas), o SAR de um humano em locais publicamente-acessíveis perto de uma estação básica FCC-complacente seria menos de 0.01 W/kg. - Debaixo de condições realísticas o SAR para um humano perto de tal uma estação básica seria menos de 0.0005 W/kg.

17. O ANSI, ICNIRP e NCRP tudo concordam aquela exposição de corpo de todo do público geral deveria ser mantida debaixo de um corpo inteiro SAR de 0.08 W/kg. Onde os padrões discordam é sobre a relação específica de SAR a poder-densidade, uma relação que é determinado de uma combinação de dosimetry e modelando biofísico.

Nota internacional: como resultado de diferenças entre aproximações e freqüências padrões usados, mundiais para a exposição contínua do público para RF de base estação antenas gamas de 0.20 a 1.20 mW/cm-sq.

18. Para o" painel" antenas usadas pela maioria das PC base estações, a área de preocupação só está à frente das antenas. Para o" chicote" antenas de estilo usaram em muitas antenas de estação básicas celulares, a área de preocupação estaria em todas as direções. Isto diferencia fica mais claro depois de um exame dos padrões de RF de cada tipo de antena (veja Q14C).

Estas declarações gerais sobre distâncias seguras mínimas assumem aquele total ERPs por setor para antenas de estação de base não excederá 2000 W. No EUA, este é geralmente o caso; e debaixo das diretrizes de FCC norte-americanas, locais com ERPs total sobre 2000 W requererá avaliações de local específicas [veja nota 19].

Nota internacional: podem ser usadas antenas mais poderosas em outro lugar em qual caso as distâncias seguras mínimas seriam maiores. Distâncias seguras mínimas também serão maiores quando houver antenas múltiplas que radiodifundem no mesmo setor.

19. Especificamente, o FCC requererá avaliações para:

  1. non-telhado os PC fundam antenas de estação menos de 10 metros (30 pés) fora o chão e com um ERP total de maior que 2000 W (3280W EIRP);
  2. telhado os PC fundam antenas de estação com um ERP total de maior que 2000 W (3280W EIRP).
  3. non-telhado telefone base estação antenas celulares menos de 10 metros (30 pés) fora o chão e com um ERP total de maior que 1000 W (1640W EIRP);
  4. telhado telefone base estação antenas celulares com um ERP total de maior que 1000 W (1640W EIRP)
  5. veja Q14H para uma discussão de ERP

"telhado" está definido como": o telhado ou caso contrário fora de, nível o mais alto ou níveis de uma estrutura de edifício que está ocupado como um lugar de trabalho ou residência e onde ou trabalhadores ou o público geral podem ter acesso." Eu assumiria que um monte em uma torre de água seria considerado" non-telhado"" poder total" está definido como": a soma do ERP ou EIRP de tudo co-situado simultaneamente transmissores operacionais da facilidade. Ao aplicar o [exclusão] critérios, radiação em todas as direções deveria ser considerada. Para o caso de transmitir instalações que usam sectorized que transmite antenas, candidatos e licenciados os critérios deveriam aplicar a tudo transmitindo canais em um determinado setor, notando que para uma antena altamente direcional há relativamente pequena contribuição a ERP ou adição de EIRP para outras direções."

Nota internacional: No sentido exato, estes critérios só aplicam no EUA Nevertheless, eles são critérios úteis por determinar que tipos de locais de antena são provável violar padrões de RF. Por exemplo, locais que são isentados de exigência de medida debaixo das regras de FCC também deveriam satisfazer facilmente para o padrão australiano mais rígido.

20. Uma distinção que é feita freqüentemente em discussões dos efeitos biológicos de radiowaves está entre" nonthermal" e" corrente térmica" efeitos. Isto recorre ao mecanismo para o efeito: efeitos non-térmicos são um resultado de uma interação direta entre o radiowaves e o organismo, e efeitos térmicos são um resultado de aquecer. Há alguns informaram efeitos biológicos de radiowaves cujos mecanismos são desconhecidos, e é difícil (e não muito útil) tentar puxar uma distinção entre" corrente térmica" e" nonthermal" mecanismos para tal efetua.

21. Estes efeitos incluíram mudanças na atividade elétrica do cérebro, mudanças em atividade de enzima, e mudanças em transporte de íon de cálcio por membranas [para detalhes veja 1, 5, 6, 7 e 14].

22. Santani et al: campos Elétricos de 900 MHz telefones celulares digitais. Sociedade de Bioelectromagnetics, Tampa, 1998 de junho.

23. A absorção humana aumentada a 900 MHz (cela norte-americana telefônica freqüência) contra 2000 MHz (os PC norte-americanos telefônica freqüência) aplica a exposição de corpo inteira a uma distância da antena (o caso para exposição pública perto de um local de antena de estação básico). Esta diferença pode não aplicar a exposições de corpo parciais em proximidade muito íntima para uma antena.

24. WR Adey, CV Byus et al: Espontâneo e nitrosourea-induziu tumores primários do sistema nervoso central em Fischer 344 chronically de ratos expostos a 836 MHz modularam microondas. Radiat Res 152:293-302, 1999.

25a. KH al de et Moderado: Uso de telefones móveis e desordens subjetivas. Um estudo epidemiológico sueco-norueguês. Fundo e desenvolvimento de questionário. Sociedade de Bioelectromagnetic, Tampa, 1998 de junho.

25b: M Sandström et al: sintomas Subjetivos entre telefônicos usuários móveis na Suécia e Noruega. Um estudo epidemiológico sueco-norueguês. Sociedade de Bioelectromagnetic, Tampa, 1998 de junho.

26a. BJ Youbicier-Simo, JC Lebecq e M Bastide: Mortalidade de embriões de pintinho expôs a EMFs de telefones móveis. Sociedade de Bioelectromagnetic, Tampa, 1998 de junho. 26b. BJ Youbicier-Simo, JC Lebecq e M Bastide: Dano de embriões de galinha por EMFs de telefones móveis: Proteção por uma antena de compensação. Sociedade de Bioelectromagnetic, Tampa, 1998 de junho.

27. Veja 63b.

28. B Hocking et al: incidência de Câncer e mortalidade e proximidade para torres de TELEVISÃO. Med J Austral 165:601-605, 1996.

29A. Ourives de JR: Epidemiologic comprovam de radiofrequency (microonda) efeitos em saúde em exército, radiodifusão, e estudos profissionais. Int J Occup Environ Saúde 1:47-57, 1995. Ourives de JR: evidência de Epidemiologic pertinente a radar (microonda) efeitos. Saúde de Environ Perspec 105:1579-1587, 1997.

30. Uma discussão dos problemas com interpretar estudos de epidemiologia ecológicos está além da extensão de documento. Para discussão deste assunto veja: S Piantadosi et al: A falácia ecológica. É J Epidem. 127(5):893-904, 1988.
S Schwartz: A falácia da falácia ecológica: o abuso potencial de um conceito e as conseqüências. É Saúde pública de J. 84(5):819-24, 1994.

31a. H Lai e NP Singh: exposição de microonda de baixo-intensidade Aguda aumenta ADN único-praia fraturas em celas de cérebro de rato. Bioelectromag 16:207-210, 1995,

31b. H Lai e NP Singh: Único - e dobrar-praia fraturas de ADN em celas de cérebro de rato depois de exposição aguda para radiofrequency radiação eletromagnética. Int J Rad Biol 69:513-521, 1996.

32. Um Maes et al: 954 MHz microondas aumentam as propriedades mutagênicas de mitomycin o C. Environ Molec Mutágeno 28:26-30, 1996.

33. JK Grayson: exposição de Radiação, estado socioeconômico, e risco de tumor cerebral em Força aérea de EUA: UM estudo de caso-controle aninhado. Amer J Epidem 143:480-486, 1996.

34. H Dolk et al: incidência de Câncer próximo rádio e transmissores de televisão em Grã Bretanha eu. Sutton Coldfield Transmissor. Amer J Epidem 145:1-9, 1997.

35. H Dolk et al: incidência de Câncer próximo rádio e transmissores de televisão em Grã Bretanha. II. Transmissores de poder todo altos. Amer J Epidem 145:10-17, 1997.

36. MR Scarfi et al: Genotoxic efetua de mitomycin-C e radiação de microonda em linfócitos bovinos. Electro Magnetobio 15:99-107, 1996.

37. MH Repacholi et al: Linfomas em Eµ-Pim1 Transgenic Ratos Expostos Pulsaram 900 MHz Fields Eletromagnético. Rad Res 147:631-640, 1997.

38. Citações do abstrato de Repacholi et al [37]":... Cem ratos estavam fraude-expostos e 101 estavam expostos durante dois 30-min períodos por dia para até 18 meses aplanar campos de onda de 900 MHz com uma freqüência de repetição de pulso de 217 Hz e uma largura de pulso de 0.6 ms. Densidades de poder incidentes eram 0.26-1.3 mW/cm-sq e [SAR comum era] 0.13-1.4 W/kg. Risco de linfoma foi achado para ser significativamente mais alto nos ratos expostos que nos controles (OR=2.4, p=0.006, 95% CI=1.3-4.5)... Assim exposição intermitente a longo prazo para campos de RF pode aumentar a probabilidade que ratos que levam um oncogene de lymphomagenic desenvolverão linfomas."

39. Citações da discussão em Repacholi et al [37]" [a literatura] não pareça oferecer um mecanismo por qual RF campo exposição... poderia aumentar a incidência de malignidade linfóide"" Enquanto o aumento na incidência de linfoma achada aqui era statistically altamente significante, e as condições de exposição foram projetadas para imitar os campos gerados por um telefone móvel digital, as implicações do estudo para risco de carcinogênese em humanos estão obscuras. É difícil de extrapolar diretamente de ratos a humanos devido a diferenças na absorção deles/delas de energia de "campos de RF.
"Nós não interpretaríamos estes estudos como indicando aquela exposição de RF-campo especificamente seriam lymphomagenic em animais normais."" Isso é não insinuar que qualquer humano nada necessariamente está a risco aumentado de câncer como conseqüência de exposição para campos de RF. Nenhuma única experiência em animais pode permitir tal uma conclusão."

40. Mais adiante notas técnicas relativo a Repacholi et al [37]: - Ratos usados nestes estudos são animais de transgenic que nascem com um oncogene ativado que os predispõe desenvolver linfoma. Pela idade de 10 meses 5-10% destes ratos desenvolvem linfomas, e aproximadamente antes de 18 meses 15% desenvolvem linfomas. A incidência de linfoma em ratos normais é muito mais baixa. - A análise de dados foi encoberta. As exposições eles não foram encobertos completamente; durante o curso das experiências souberam os investigadores quais ratos estavam estando expostos e que não era, mas as pessoas que querem os animais não fizeram. - O campo de RF não era uniforme no quarto de exposição, e os animais foram permitidos se mudar para as gaiolas deles/delas livremente durante a exposição. Como resultado, a exposição atual nivela dos animais não é conhecido. Tudo aquilo é conhecido é que a gama de SAR era 0.007 a 4.3 W/kg e que o SAR comum para os ratos era 0.14 a 1.4 W/kg. - O padrão de ANSI/IEEE para exposição do público geral para RF está baseado em manter exposições debaixo de 0.08 W/kg. O SAR nivelam em locais publicamente-acessíveis próximo telefone celular ou PC estações básicas está na 0.0005-0.005 gama de W/kg [16]. Assim os níveis de exposição usados neste estudo de rato estão bem sobre esses para os quais as pessoas estão realmente expostas. - Porque os animais usaram no estudo é predisposto geneticamente a linfoma é difícil decidir se isto deveria ser visto como um teste para atividade de genotoxic ou um teste para atividade epigenética (veja o linha-câncer de poder FAQ para uma discussão da distinção).

41a. Vijayalaxmi et al: Freqüência de micronúcleos no sangue periférico e medula óssea de chronically de ratos câncer-propenso expostas a 2450 MHz radiação de radiofrequency. Rad Res 147:495-500, 1997. 41b. Vijayalaxmi et al: Proliferação e cytogenetic estuda em linfócitos de sangue humanos expostos em vitro a 2450 MHz radiação de radiofrequency. Int J Rad Biol 72:751-757, 1997.

42. CD Caim al de et: formação de Foco de celas de C3H/10T1/2 e exposição para um 836.55 MHz modulou campo de radiofrequency. Bioelectromag 18:237-243, 1997.

43. CK Chou et al: irradiação de microonda A longo prazo, de baixo nível de ratos. Bioelectromag 13:469-496, 1992.

44. MR Frei et al: exposição Crônica de ratos câncer-propensos para 2450 MHz radiação de radiofrequency de baixo nível. Bioelectromag. 19, 20-31, 1998.

45. JC Toler et al: exposição de baixo nível A longo prazo de ratos propenso a tumores mamários para 435 MHz radiação de radiofrequency. Rad Res 148:227-234, 1997.

46. DL Hayes et al: Interferência com marcapassos cardíacos através de telefones celulares. Eng J Med 336:1473-1479 novo, 1997.

47. MR Frei et al: Crônico de baixo nível (1.0 W/Kg) exposição de ratos câncer-propensos mamários para 2450 MHz microondas. Rad Res 150:568-576, 1998.

48. AH Frey: Comentário: Dores de cabeça de telefones celulares: eles São reais e o que é as implicações? Saúde de Environ Perspec 106:101-103, 1998.

49a. RS Malyapa et al: Medida de dano de ADN exposição seguinte para 2450 MHz radiação eletromagnética. Rad Res 148:608-617, 1997.

49b. RS Malyapa et al: Medida de dano de ADN exposição seguinte para radiação eletromagnética na faixa de freqüência de comunicações celular (835.62 e 847.74 MHz). Rad Res 148:618-627, 1997.

49c. RS Malyapa et al: dano de ADN em celas de cérebro de rato depois de em exposição de vivo para 2450 MHz radiação eletromagnética e vários métodos de eutanásia. Rad Res 149:637-645, 1998.

50. WR Adey, CV Byus et al: Espontâneo e nitrosourea-induziu tumores primários do sistema nervoso central em Fischer que 344 ratos expuseram a campos de microonda freqüência-modulados. Câncer Res. 60:1857-1863,2000.

51. T Shirai et al: Falta de promover efeitos do próximo-campo eletromagnético usou para telefones celulares (929 MHz) em rato carcinogênese mais ao vivo em bioassay de médio prazo. 2º Congresso Mundial, Bolonha, 1997.

52. G d'Ambrosio et al: resultados Preliminares em linfócitos humanos expostos em vitro a freqüência de microonda de telefone celular. 2º Congresso Mundial, Bolonha, 1997.

53. O KR Foster, LS Erdreich e JE Moulder: campos eletromagnéticos Fracos e câncer No contexto de avaliação de risco. Proc IEEE 85:731-746, 1997.

54. Espetáculo de medidas que força notável em um edifício está em qualquer lugar de 5% a 40% do nível mediu na rua fora. Em geral, atenuação notável é maior a nível de chão que mais alto para cima no edifício, e atenuação é menos a mais alto (os PC) freqüências que a abaixe (telefone de cela) freqüências (JD Parsons, O Telefônico Canal de Propagação Móvel, Wiley e Filhos, NY, 1992).

55. Um pior caso cálculo (2000 W ERP baixo-ganham antena montada diretamente em um telhado de baixo-atenuação) prediz uma densidade de poder de menos de 0.10 mW/cm-sq no chão abaixo. Um cálculo para um monte de telhado mais típico (1000 W ERP alto-ganham antena, 2 metros montados sobre um telhado típico) prediz uma densidade de poder de menos de 0.001 mW/cm-sq no chão abaixo.

Medidas atuais nos apartamentos de chão de topo de um edifício com alto-ganhe (painel) básico estaciona antenas montadas o fora do parapeito há pouco anterior os apartamentos acharam uma densidade de poder de máximo de 0.0004 mW/cm-sq [101]. Medidas em um corredor no chão diretamente debaixo de uma estação de base de telhado (antenas 3 metros sobre o telhado principal) ache uma densidade de poder de máximo de 0.008 mW/cm-sq. Ambos o maximums assumem que as estações básicas estão operando à capacidade de máximo deles/delas de 2000 W ERP [101].

Em 2000, NRPB (o REINO UNIDO) [130] fez medidas em prédios de apartamentos múltiplos e escolas que tiveram uma variedade larga de telefônicas antenas móveis nos telhados deles/delas. No chão de topo destes edifícios o máximo RF dão poder a densidade de todas as fontes combinadas era 0.0001 mW/cm-sq.

56. RY Wu et al: Efeitos de 2.45 GHz microonda radiação e 12-O-tetradecanoylphorbol-13-acetato de éster de phorbol em dimethylhydrazine - induziu câncer de cólon em ratos. Bioelectromag 15:531-538, 1994.

57. ED Mantiply et al: Resumo de radiofrequency medido campos elétricos e magnéticos (10 kHz para 30 GHz) no general e trabalha ambiente. Bioelectromag 18:563-577, 1997.

58. R Coghill: Algo no ar: UNS Biólogos Revisam de Efeitos Adversos e Benéficos em Gênero humano, Natureza e o Ambiente, Do Uso de Rádio, TELEVISÃO, Telecomunicações, Telefones Móveis, Microondas e Eletricidade. Fonte e publicador obscurecem, 1997?

59. Citações são de Saúde de EMF e Sumário de Segurança, 1997 de setembro, pp 12-13.

60. Cereja de N: saúde adversa Potencial efetua de "locais de cela. Fonte e publicador obscurecem, 1996?.

61. Citações são de um internet" entrevista" em NZine (www.nzine.co.nz) em julho de 1997.

62. DR McKenzie et al: incidência de Infância de leucemia de lymphoblastic aguda e exposição para radiodifundir radiação em Sydney--um segundo olhar. Aust Nova Zelândia J Saúde pública 22:360-367, 1998.

63a. K Imaida et al: Falta de promover efeitos do próximo-campo eletromagnético usou para telefones celulares (929.2 MHz) em rato carcinogênese mais ao vivo em um bioassay mais ao vivo de médio prazo. Carcinogênese 19:311-314, 1998.

63b. K Imaida et al: O 1.5 GHz que próximo-campo eletromagnético usou para telefones celulares não promove rato carcinogênese mais ao vivo em um bioassay mais ao vivo de médio prazo. Jap J Câncer Res 89:995-1002, 1998.

64. JF Spalding et al: Efeitos de 800-MHz radiação eletromagnética em peso de corpo, atividade, hematopoiesis e período de vida em ratos. Saúde Phys 20:421-424, 1971.

65. S Szmigielski et al: desenvolvimento Acelerado de espontâneo e benzopyrene-induziu câncer de pele em ratos expostos a 2450 MHz radiação de microonda. Bioelectromag 3:179-191, 1982.

66. CG Liddle et al: Alteração de período de vida de chronically de ratos expôs a 2.45 GHz microondas de CW. Bioelectromag 15:177-181, 1994.

67. CD Robinette et al: Efeitos em saúde de exposição profissional para radiação de microonda. Amer J Epidem 112:39-53, 1980.

68. Colina de DA: estudo Longitudinal de uma coorte com exposição passada para radar: o MIT Radiação Laboratório seguimento estudo [dissertação], Universidade de Michigan Dissertação Serviço, Ann Arbor, Michigan, 1988.

69. S Milham: Aumentou mortalidade em operadores de rádio amadores devido a linfático e malignidades de hematopoietic. Amer J Epidem 127:50-54, 1988.

70. É Lilienfeld et al: Serviço Saúde Estado Estudo Estrangeiro - Avaliação de Estado de Saúde de Serviço Estrangeiro e Outros Empregados de Postes europeus Orientais Selecionados. Relatório final, Contrato Nenhum. 6025-619073, Departamento de Estados Unidos de Saúde, Washington, D.C., 1978,.

71. S Lagorio et al: Mortalidade de trabalhadores de plástico-mercadoria expôs a radiofrequencies. Bioelectromag 18:418-421, 1997.

72. JM Muhm: investigação de Mortalidade de trabalhadores em um programa de teste de pulso eletromagnético. J Occup Med 34:287-292, 1992.

73. T Tynes et al: Incidência de câncer em trabalhadores noruegueses potencialmente expostos a campos eletromagnéticos. Amer J Epidem 136:81-88, 1992.

74. MH Repacholi: Radiofrequency campo exposição e câncer: O que sugestionam os estudos de laboratório? Saúde de Environ Perspec 105:1565-1568, 1997.

75. Um Antonopoulos et al: Efeitos de alto-freqüência campos eletromagnéticos em linfócitos humanos em vitro. Mut Res 395:209-214, 1997.

76. S Kwee e P Rasmark: Mudanças em proliferação de cela devido a radiação 2 non-ionizando ambiental. Radiação de microonda. Bioelectrochem Bioenerg 44:251-255, 1998.

77. RC Petersen et al: Rádio-freqüência que campos eletromagnéticos associaram com antenas de cela-local de celular-rádio. Bioelectromag 13:527-542, 1992.

78. JL Phillips et al: dano de ADN em Mudar-4 celas de T-lymphoblastoid expuseram a campos de radiofrequency de telefone celulares em vitro. Bioelectrochem Bioenerg 45:103-110, 1998.

79. S Szmigielski: morbidez de Câncer em occupationally de assuntos exposto a alto-freqüência (radiofrequency e microonda) radiação eletromagnética. Sci Total Environ 180:9-17, 1996.

80. L Verschaeve e UM Maes: efeitos Genéticos, carcinogênicos e teratogênicos de campos de radiofrequency. Mut Res 410:141-165, 1998.

81. D Brusick et al: Genotoxicity de radiação de radiofrequency. Environ Molec Mutágeno 32:1-16, 1998.

82. S Braune et al: Descansando aumento de pressão sanguínea durante exposição para um radiofrequency campo eletromagnético. Lanceta 351(9119):1857-1858, 1998.

83. MA Stuchly: preocupações Biológicas em comunicações sem fios. Crit Rev Biomed Eng 26:117-151, 1998.

84. C Eulitz et al: telefones Móveis modulam padrões de resposta de atividade de cérebro humana. NeuroReport 9:3229-3232, 1998.

85. OM Garson, TL McRobert et al: UM estudo cromossômico de trabalhadores com exposição a longo prazo para radiação de rádio-freqüência. Med J Austral 155:289-292, 1991.

86. EM Magras e TD Xenos: RF radiação-induziu mudanças no desenvolvimento pré-natal de ratos. Bioelectromag 18:455-461, 1997.

87. PC Goswami, LD Albee et al: mRNA de Proto-oncogene nivela e atividades de fatores de transcrição múltiplos em C3H 10T1/2 murine que fibroblastos embrionários expuseram a 835.62 e 847.74 MHz telefônica radiação de freqüência de comunicação celular. Radiat Res 151:300-309, 1999.

88. Raio de S e J Behari: Fisiologia muda em ratos depois de exposição para baixos níveis de microondas. Radiat Res 123:199-202, 1990.

89. SK Dutta, B Ghosh et al: Radiofrequency radiação-induziu cálcio íon efflux encarecimento do humano e outras celas de neuroblastoma em cultura. Bioelectromag 10:197-202, 1989.

90. J Juutilainen e de de R Seze: efeitos Biológicos de radiação de radiofrequency amplidão-modulada. Scand J Trabalho Environ Saúde 24:245-254, 1998.

91. JL Chagnaud e B Veyret: Em exposição de vivo de ratos para microondas GSM-moduladas: análise de citometria de fluxo de subpopulations de linfócito e de excitação de mitógeno. Int J Radiat Biol 75:111-113, 1999.

92. H Lai, UM Horita et al: irradiação de Microonda afeta desempenho de labirinto de radial-braço no rato. Bioelectromag 15:95-104, 1994.

93. H Lai: Pesquisa nos efeitos neurológicos de radiação de nonionizing na Universidade de Washington. Bioelectromag 13:513-526, 1992.

94. JM Elwood: UMA revisão crítica de estudos de epidemiologic de exposição de radiofrequency e cânceres de humano. Saúde de Environ Perspect 107(Suppl. 1):155-168, 1999.

95. JE Moulder, LS Erdreich et al: telefones de Cela e câncer: o que é a evidência para uma conexão? Radiat. Res., 151:513-531,1999.
Versão on-line disponível.

96. JA D'Andrea: avaliação De comportamento de irradiação de microonda. Bioelectromag 20:64-74, 1999.

97. AW Preece, G Iwi et al: Efeito de um 915-MHz simulou sinal de telefone móvel em função cognitiva em homem. Int J Radiat Biol 75:447-456, 1999.

98. RD Saunders, CI Kowalczuk et al: Estuda na indução de lethals dominante e translocações em ratos masculinos depois de exposição crônica para radiação de microonda. Int J Radiat Biol 53:983-992, 1988.

99. Sociedade real de Canadá: UMA revisão dos riscos potenciais de campos de radiofrequency de dispositivos de telecomunicação sem fios. Sociedade real de Canadá, Ottawa, Ont, (http://www.rsc.ca/english/RFreport.html)

100A. L Hardell, UM Näsman et al: Uso de telefones celulares e o risco de tumores cerebrais: um estudo de caso-controle. Int. J. Oncol. 15:113-116, 1999.

100B. L Hardell, UM Näsman et al: Caso-controle estude em trabalho de radiologia, investigações de Radiografia médicas, e uso de telefones celulares como fatores de risco para tumores cerebrais. Medscape Medicina 2:2000 Geral. Este é um diário on-line: http://www.medscape.com/Medscape/GeneralMedicine/journal/public/mgm.journal.html.

101. RC Petersen, AK Fahy-Elwood et al: telecomunicações Sem fios: Tecnologia e segurança de RF emite, Em": Non-ionizando Radiação: Uma Avaliação das Físicas e Biologia", KA Hardy, ML Meltz et al (os editores), Físicas Publicando Médico, Madison, WI, pp. 197-226,1997.

102. ELEPÊ a Phillips, DB Blackwell et al: Genotoxicity de rádio freqüência radiação campos gerou de análogo, TDMA, CDMA e tecnologia de PC avaliaram usando um três teste em bateria de vitro. Environ Molec Mutágeno 33 (Suppl. 30):49, 1999.

103. MV Vasquez, CJ Clancy et al: Genotoxicity de rádio freqüência radiação campos gerou de análogo, TDMA, CDMA e PC em celas de sangue humanas avaliou usando único gel (SCG) electrophoresis e o cytochalasin B micronúcleo ensaio. Environ Molec Mutágeno 33 (Suppl. 30):66, 1999.

104. CA Zook: O carcinogenicity de radiação de RF para o cérebro de ratos, Proc 11º Congresso de Int de Pesquisa de Radiação, Sociedade de Pesquisa de Radiação, Dublin, pg. 280, 1999.

105. TL Thomas, PD Stolley et al: risco de mortalidade de tumor cerebral entre homens com elétrico e trabalhos de eletrônica: UM estudo de caso-controle. J Natl Câncer Inst 79:233-238, 1987.

106. JL Chagnaud, JM Moreau et al: Nenhum efeito de exposição a curto prazo para microondas de baixo-poder GSM-moduladas em tumores benzo(a)pyrene-induzidos em rato. Int J Radiat Biol 75:1251-1256, 1999.

107. R Higashikubo, VO Culbreth et al: Radiofrequency campos eletromagnéticos não estão usando nenhum efeito o em proliferação de vivo do 9L tumor cerebral. Radiat Res 152:665-671, 1999.

108. De de R Seze, J Ayoub et al: Avaliação em humanos dos efeitos de telefones de radiocellular nos padrões circadianos de secreção de melatonina, um marcador de ritmo de chronobiological. J Pineal Res 27:237-242, 1999.

109. B Wang e H Lai: exposição Aguda para 2450-MHz pulsado microondas afetam desempenho de água-labirinto de ratos. Bioelectromag 21:52-56, 2000.

110. Um Borbély, R Huber et al: Pulsou alto-freqüência campos eletromagnéticos afeta sono humano e dorme electroencephelogram. Neurosci Lett 275:207-210, 1999.

111. G Freude, P Ullsperger et al: Microondas emitidas por telefones celulares afetam o humano potenciais de cérebro lentos. Eur J Appl Physiol 81:18-27, 2000.

112. FM Johnson: substância química*-resposta Carcinogênica" Impressão digital" para ratos de F344 masculinos expostos a umas séries de 195 substâncias químicas: Implicações por predizer carcinógenos com modelos de transgenic. Environ Molec Mutágeno 34:234-245, 1999.

113. K Mann e J Röschke: Efeitos de alto-freqüência pulsada campos eletromagnéticos em sono de humano. Neuropsychobio 33:41-47, 1996.

114. LG Salford, UM Brun et al: Permeabilidade da barreira de sangue-cérebro induzida por 915 MHz radiação eletromagnética, onda contínua e modulou a 8, 16, 50 e 200 Hz. Micro Res Tech 27:535-542, 1994.

115. P Wagner, J Röschke et al: sono Humano debaixo da influência de radiofrequency pulsado campos eletromagnéticos: UM estudo de polysomnographic que usa condições unificadas. Bioelectromag 19:199-202, 1998.

116. RA Tell: Telecomunicações Antena Instalação Diretrizes, Richard Tell Sócios, Las Vegas, 1996. Disponível de CTIA, 1250 Connecticut Ave, NW, Apartamento 200, Washington, DC, 20036,.

117. M Koivisto, UM Revonsuo et al: Efeitos de 902 MHz campo eletromagnético emitidos por telefones celulares em tempos de resposta em humanos. Neuroreport 11:413-415,2000.

118. RW Morgan, MA Kelsh et al: exposição de Radiofrequency e mortalidade de câncer do cérebro e sistemas de lymphatic/hematopoietic. Epidemiologia 11:118-127,2000.

119. Vijayalaxmi, BZ Leal et al: dano de ADN Primário em linfócitos de sangue humanos expostos em vitro a 2450 MHz radiação de radiofrequency. Radiat. Res. 153:479-486,2000.

120. ZJ Sienkiewicz, RP Blackwell et al: exposição De baixo nível para pulsou 900 MHz radiação de microonda não causa déficits no desempenho de uma tarefa de aprendizagem de espaço em ratos. Bioelectromagnetics 21:151-158,2000.

121. KJ Rothman, JE Loughlin et al: mortalidade Global de clientes de telefone celulares. Epidemiologia 7:303-305,1996.

122. NA Dreyer, JE Loughlin, KJ Rothman: mortalidade Causa-específica em usuários de telefone celulares. JAMA 282:1814-1816,1999

123. Um Thansandote, GB Gajda et al: radiação de Radiofrequency em cinco Vancouver educa: padrões de exposição não excederam. Lata. Med. Assoc. J. 160:1311-1312,1999.

124. KR Foster: O paradoxo de mecanismo: Constrangimentos em interações entre campos de radiofrequency e sistemas biológicos; em M Moriarty, C Mothersill et al (eds): 11º Congresso Internacional de Pesquisa de Radiação. Lawrence, KS, Allen Press, Inc., 2000, pp 222-226.

126. GI Reeves: Revisão de workups extenso de 34 overexposed de pacientes para radiação de radiofrequency. Aviat Space Environ Med 71:206-215,2000.

127. DePomerai de D, C Daniells et al: Nonthermal aquecem resposta de choque a microondas. Natureza 405:417-418,2000.

128. Perito Group independente em Telefones Móveis: Relatório em Telefones Móveis e Saúdes. Chilton, Tábua de Proteção de Radiação Nacional, 2000. On-line a: http://www.iegmp.org.uk/IEGMPtxt.htm.

129. O KR Foster, P Vecchia e M Repacholi: Ciência e o princípio precautório. Ciência 288:979-981, 2000.

130. SM Mann, TG Cooper al de et: Exposição para ondas de rádio próximas estações de base de telefone móveis. Tábua de Proteção de Radiação nacional (o REINO UNIDO), 2000 de junho.

131. O KR Foster e JE Moulder: telefones móveis Estão seguros? Espectro de IEEE, 2000 de agosto, pp 23-28. On-line a: http://www.spectrum.ieee.org/publicfeature/aug00/prad.html

132. M Koivisto, CM o Krause al de et: Os efeitos de campo eletromagnético emitidos por telefones de GSM em memória trabalhando. Neuroreport 8:1641-1643, 2000.

133. G Tsurita, H Nagawa et al: efeitos Biológicos e morfológicos no cérebro depois de exposição de ratos para um 1439 MHz campo de TDMA. Bioelectromag 21:364-371, 2000.

134. Conselho nacional em Proteção de Radiação e Medidas (o EUA): UM guia prático para a determinação de exposição humana para campos de radiofrequency. NCRP Report Nenhum. 119. Bethesda, MD, Conselho Nacional em Proteção de Radiação e Medidas (o EUA), 1993.

135. RF Cleveland e JL Ulcek: Perguntas e respostas sobre efeitos biológicos e perigos potenciais de radiofrequency campos eletromagnéticos. OET Boletim 56, 1999. On-line a: http://www.fcc.gov/Bureaus/Engineering_Technology/Documents/bulletins/oet56/oet56e4.pdf

NEW136. P Gos et al: Nenhum mutagênico ou recombinogenic efetua de telefônicos campos móveis a 900 MHz descobriu no fermento cerevisiae de Saccharomyces. Bioelectromag 21:515-523, 2000.

NEW137. FH Grand e RE Schlegel: Efeitos de abertura de ar aumentada no em interação de vitro de telefones sem fios com marcapassos cardíacos. Bioelectromag 21:485-490, 2000.


Notificação protegido por direitos autorais

Este FAQ é Copyright©, 1996-2000 por John Moulder e o Exame médico Faculdade de Wisconsin, e é feito disponível como um serviço para a comunidade de Internet. São derivadas porções deste FAQ dos artigos seguintes, e está coberto pelo Direito autorais nesses artigos:

Permissão é concedida copiar e eletronicamente redistribuir este documento contanto que esteja inalterado. Notificação de tal redistribuição seria apreciada. Este FAQ pode não ser vendido dentro qualquer médio, incluindo eletrônico, CD-ROM, ou banco de dados, ou publicou impresso, sem a permissão explícita, escrita de John Moulder.